Pericoronarite é um processo inflamatório em um dente que está parcialmente coberto pela gengiva. Essa condição muitas vezes é causada por má higiene bucal aliada ao dente parcialmente irrompido (quando ainda está dentro do osso), sendo mais comum nos terceiro molares, os famosos dentes sisos. Os principais sintomas são inchaço local e dor, podendo também causar mau hálito. Consultamos o dentista especialista em patologia bucal Daniel Cohen Goldemberg para entender sobre a pericoronarite e quando esse quadro pode surgir.

O que é a pericoronarite e quais são seus sintomas?

De acordo com o dentista, pericoronarite se refere ao processo inflamatório ao redor da coroa de um dente que não está totalmente erupcionado, ou seja, o dente que ainda está parcialmente coberto pela gengiva e que possivelmente ainda está dentro do osso. “Acontece quando apenas parte da coroa do dente está na boca, o restante ainda está abaixo da linha gengival, muitas vezes ainda com parte considerável da coroa dentro do osso alveolar (tecido ósseo que dá suporte aos dentes)”, explica.

Os sinais e sintomas comuns à pericoronarite são o edema (inchaço) e dor local, halitose, dificuldade de engolir alimentos e febre. “Em alguns casos também pode causar trismo (condição que dificulta o movimento da mandíbula para abrir a boca), que pode ocorrer de modo suave ou evoluir para quadros mais intensos, nos quais é necessária a internação hospitalar quando os cuidados ambulatoriais não são suficientes”, explica o profissional.

O que pode provocar pericoronarite?

A pericoronarite pode ser provocada por má higiene bucal aliada ao dente parcialmente irrompido. O dente que não está totalmente incluso fica mais propício a acumular placa bacteriana, aquela película formada por bactérias. “Muitas vezes a dificuldade de higiene dos dentes de siso pode levar ao processo de pericoronarite, mesmo que estes dentes estejam totalmente irrompidos na cavidade bucal, como sisos próximos ao ângulo mandibular (não estão semi-inclusos, como normalmente ocorre nos casos de pericoronarite)”, acrescenta o dentista. Dessa forma, ressaltamos a importância da higiene bucal para prevenir problemas como esse.

Diferença entre pericoronarite para a inflamação da gengivite e periodontite

Segundo o especialista, a pericoronarite é um processo inflamatório dos tecidos moles associados a um dente semi-incluso ou próximo à região de ângulo mandibular, que faz com que a higienização da região posterior destes dentes seja muito mais dificultada. Já o processo de gengivite, mesmo que localizado, envolve uma região mais ampla geralmente. “Nos quadros de periodontite, os tecidos duros associados aos elementos dentários são também acometidos pela infecção bacteriana”, finaliza.

Como tratar a inflamação do dente chamada pericoronarite?

O tratamento para pericoronarite geralmente envolve antiinflamatórios e algumas vezes até o uso de antibióticos. “O mais importante é que em caso de necessidade de tratamento com extração do dente envolvido, o tecido pericoronário afetado seja removido e enviado para avaliação por um patologista bucal”, alerta o dentista sobre a necessidade de realizar análise do material do dente pelo risco de desenvolvimento de um ceratocisto odontogênico, um tumor odontogênico epitelial calcificante, e outros tumores que podem se desenvolver no local.

Segundo o especialista, para o paciente que não necessitou extrair o dente e ainda assim apresentou pericoronarite recorrente, é recomendado buscar o acompanhamento preferencialmente de um estomatologista para o controle e tratamento adequado do caso.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Daniel Cohen Goldemberg - PhD. Estomatologia e Patologia Bucal
Rio de Janeiro - RJ
CRO-RJ: 29267