Produto Relacionado:

A ortodontia busca sempre evoluir em muitas formas. A principal delas é oferecer tratamentos ortodônticos que sejam mais rápidos e eficazes. Afinal, que paciente não busca isso quando se trata da sua saúde bucal? Uma das tendências é o procedimento com mini-implantes dentários para fazer as movimentações dos dentes necessárias e de modo seletivo. O dentista Marco de Borba explicou os detalhes dessa técnica que promete corrigir seus dentes em pouco tempo.

Mini-implante x Implante tradicional

O mini-implante é um microparafuso feito de titânio, geralmente de 1,2 a 2 mm de espessura, sendo instalado entre os ossos, na mandíbula ou na maxila. A diferença do mini-implante para os outros implantes dentários é bem simples: a mini-prótese funciona apenas como um acessório auxiliar para o tratamento ortodôntico, enquanto que os outros a finalidade é uma substituição dentária. "Na perda de um dente, o implante normal substituirá a raiz do elemento perdido, funcionado como um pilar para instalação de uma prótese fixa", explica.

Como funciona?

A técnica funciona como uma ancoragem absoluta, permitindo que se faça movimentações ortodônticas, mas sem que os outros dentes sofram movimentos indesejáveis. A força pode ser aplicada diretamente sobre o mini-implante ou em algum dente em que ele esteja fixado. "Quando queremos tracionar os dentes anteriores para trás, devemos aplicar a força diretamente no mini-implante instalado na região posterior. Isso impedirá que os dentes de trás se movam para frente", exemplifica Marco.

Agilidade no tratamento

Um tratamento ortodôntico mais curto é um dos maiores benefícios desse procedimento. "Dessa forma não se perderá tempo corrigindo movimentos de dentes que não gostaríamos de ter mexido". Ou seja, a sua saúde bucal só tem a agradecer: menos pressão sobre as raízes, ausência de aparatos ortodônticos e, consequentemente, mais fácil de realizar a higiene oral adequada.

As condições para o uso do mini-implante

Entretanto, para utilizar o mini implante existe algumas restrições. Segundo o profissional, o paciente não pode ter distúrbios metabólicos (como diabetes juvenil), distúrbios hematológico ou distúrbios ósseos. A técnica não é indicada para as futuras mamães também. E questões de impossibilidades locais também podem impedir a instalação do procedimento ortodôntico, como a falta de espaço entre as raízes ou até mesmo uma higiene deficiente.

Cuidados após a colocação

A boa notícia é que a instalação do mini-implante não requer cuidados diferenciados, segundo Marco. "O único cuidado que o paciente tem que ter é com a higiene do local, pois a falta dela pode levar a um quadro de mucosite e, consequentemente, à perda do elemento". A principal dica que o profissional dá para auxiliar e facilitar a limpeza é usar uma escova unitufo, além claro, de seguir corretamente todos os procedimentos recomendados pelo o seu dentista.