Seja por preguiça ou por não saber usá-lo da melhor forma, o uso do fio dental acaba sendo pulado por muita gente durante a higiene. Entretanto, o item é indispensável para a manutenção de uma boca saudável. Além de ajudar na remoção da placa bacteriana, o produto consegue retirar os restos de alimentos dos locais em que a escova não alcança. Você já deve ter ouvido diversas histórias sobre o item e, muitas das vezes, não sabemos o que é verdade ou não. Ninguém melhor que um profissional para dar as respostas certas, né? Convidamos a dentista Andréia Cotrim para explicar se é verdade que o uso em excesso pode causar uma separação dos dentes.

Quais são os riscos de usar o fio dental com muita força?

No caso de pacientes com diastema (espaço entre os dentes incisivos centrais) ou que usam o fio dental incorretamente, em que aplica uma força demasiada, repetida e por um longo período, a dentista afirma que pode acontecer uma movimentação dentária. "Usar o fio dental de maneira incorreta com excesso de força pode também lesionar a gengiva”, completa ela. Esses quadros podem apresentar sangramento e deslocamento do tecido mole. Dessa maneira, o paciente pode iniciar uma retração gengival, em que acontece a exposição de alguma região do dente que não deveria aparecer.

O que pode causar a separação entre os dentes?

A dentista destaca outros maneiras incorretas de usar o fio dental, como passá-lo dobrado ou repetidas vezes. Assim, esses fatores conseguem provocar um afastamento dos dentes. “A gengiva, como foi dito, pode ficar lesionada e retrair, deixando exposta a região da cervical ou até um pouco da raiz do dente”, ressalta a profissional. Pacientes nessas condições podem sofrer com uma doença periodontal mais severa, com perda da estrutura óssea, o que causa abertura de espaços entre os dentes. Além disso, nesses locais pode haver um acúmulo de alimentos, que também contribuem para a movimentação.

Como é possível reparar o problema?

Assim como destaca Andreia, o principal a ser feito é a avaliação do dentista. Assim ele pode identificar se o paciente está usando o fio dental corretamente e corrigi-lo, se necessário. "Feito isso, devemos avaliar se a movimentação volta normalmente, em 1 ou 2 meses, ou se é necessário o uso de um aparelho ortodôntico para o dente voltar ao lugar”, explica Andréia. O problema pode ser solucionado não só pelo aparelho ortodôntico como através de uma restauração, que aumentará o contorno do dente, colocando no ponto correto de contato entre os demais.

Confira a maneira correta de usar o fio dental

Para evitar problemas como esses, a profissional trouxe recomendações para orientar no uso do fio dental:

- retire um pedaço de, aproximadamente, 40 cm;

- enrole o fio nos dedos indicadores e introduza entre os dentes;

- faça movimentos de vai e vem. “Como se fosse abraçar o dente de um lado e de outro de maneira delicada”, explica;

- leve o fio do sulco da gengiva e até a região de contato com o dente vizinho;

- retire o fio dos dentes e enrole a parte utilizada, para usar uma nova no dente seguinte.

“Desta maneira não haverá lesão na região gengival e nem o perigo de passar bactérias e placa bacteriana de um dente para o outro”, finaliza a profissional.