Quando se fala sobre vida saudável, logo é pensado em exercícios físicos e alimentação balanceada. No entanto, para manter a qualidade da alimentação e ajudar no funcionamento do corpo, a mastigação é um momento muito importante. E ela só acontece graças a ajuda da saliva e dos dentes. O principal deles, nesse trabalho, são os caninos. O Sorrisologia te conta um pouco mais sobre a importância desses dentes.

O que são os dentes caninos?

Os dentes são formações de aspecto ósseo que ajudam a cortar os alimentos.  A dentição permanente é formada por 32 dentes, metade na parte inferior e a outra na superior. Possuímos quatro dentes caninos, dois presentes na arcada dentária superior e dois na inferior. Eles possuem a forma de cone e são encontrados na maioria dos mamíferos, em especial, em todos os seres humanos.

Qual a função dos dentes caninos?

Os dentes caninos são os grandes responsáveis pela perfuração dos alimentos mais fibrosos e resistentes. Por isso, geralmente, eles são os mais pontiagudos e compridos dos dentes. São os grandes aliados da mastigação, pois os caninos trituram os alimentos em pequenos pedaços. Isto facilita o trabalho da saliva, com uma maior local de contato no alimento, para a enzima agir, convertendo a comida em açúcares e lubrificando-a para ser engolida.

Quais problemas posso ter no dente canino?

Cerca de 3% da população apresenta o problema de dente impactado ocorrendo com o canino. Dente incluso, não irrompido ou impactado é a denominação para quando, considerando a idade da pessoa, o dente permanece dentro da gengiva, sendo que já teria que ter nascido. Normalmente, isto ocorre de um lado só e o dente está localizado atrás das raízes dos outros dentes.

Por que isso acontece?

O dente canino pode não nascer por conta de diversas razões. Uma das mais comuns é a falta de espaço no arco, já que o canino é um dos últimos dentes permanentes a surgir. Outra é quando há algum obstáculo, como um outro dente, cisto ou até mesmo um tumor. Além desses, pode acontecer devido algum fator hereditário, distúrbio endócrino ou síndrome de malformações faciais.

Como funciona o tratamento?

Em grande parte dos casos, a solução é o tracionamento do dente. Ou seja, “puxá-lo” para fora da gengiva com a ajuda de um aparelho ortodôntico, fixo ou móvel. Para esse processo acontecer, é preciso fazer uma pequena cirurgia anteriormente. O objetivo desta é colar um botão ou bráquete ortodôntico no dente a ser puxado. Vale lembrar que todos esses processos devem ser efetuados por um profissional da área. Assim, o procedimento será correto e a recuperação rápida.