Quando você sorri acaba mostrando mais gengiva do que os dentes? Se a resposta for sim, tudo indica que você tem um sorriso gengival. Esse incômodo bucal surge por fatores genéticos e acaba causando um tremendo desconforto estético, principalmente na hora de dar aquela boa risada. Entretanto, é possível tratar esse problema de várias maneiras e uma delas é com a aplicação de toxina botulínica. Quer saber como fica o resultado? O Sorrisologia mostra para você!

Por que eu tenho sorriso gengival? Entenda as principais causas!

O sorriso gengival é um problema que não aparece do nada. As razões que provocam essa extravagância são diversas e vão além da causa genética, como problemas nos músculos, alterações esqueléticas e gengivais. Esse incômodo se desenvolve ao longo da vida do paciente, quando ele vai alcançando a fase adulta e alongando as características do rosto.

Os demais motivos de um sorriso gengival podem ser: inflamações na gengiva, uso de medicamentos e projeção horizontal do maxilar. Entretanto, é importante ressaltar que, independentemente da causa, se esse tipo de sorriso te incomoda, é possível deixá-lo mais bonito.

Sorriso gengival é só questão de estética ou prejudica a saúde bucal?

A maior preocupação com o sorriso gengival é a parte estética - aquela quantidade exagerada de gengiva que cobre os dentes, deixando-os pequenos demais. Mas isso não significa que esse seja o único problema! A saúde bucal também pode ser afetada de algumas maneiras, causando o ressecamento da gengiva, deixando a região mais propensa a ter uma inflamação, a temida gengivite.

Como tratar o sorriso gengival com toxina botulínica

Existem diversas formas de tratar o sorriso gengival. Algumas delas podem ser cirúrgicas ou menos invasivas, como é o caso da aplicação de toxina botulínica. Essa é uma ótima opção para os casos em que a porção do dente apresenta um bom tamanho, mas, o fator de causa está associado à hiperatividade muscular ou desequilíbrio esquelético. O procedimento diminui a atividade do músculo e reposiciona o lábio. Porém, é importante alertar que o tratamento não é definitivo e o paciente deverá reaplicar a toxina com um dentista especializado periodicamente!