A cárie é a doença bucal que mais atinge os pacientes. O grande número de casos pode ser relacionado ao fato da cárie ser uma condição multifatorial. “Várias características ambientais, comportamentais e genéticas interagem e acabam por contribuir para o desenvolvimento da mesma”, explica a dentista Camila Esteves. Contudo, a odontologia oferece diferentes possibilidades de tratamentos para solucionar esse quadro. O Sorrisologia conversou com a profissional sobre esse assunto, veja as indicações para tratar a cárie dentária.

Conheça os fatores que influenciam no aparecimento da cárie

Todo paciente acaba tendo muito receio em ter cárie, principalmente pelos incômodos causados pela doença, fora o risco de perder o dente em casos mais graves. A odontologista destacou alguns exemplos fatores que influenciam no desenvolvimento da doente, como a dieta do paciente, presença de microorganismos cariogênicos, higiene bucal e falta de fluoretos. “Uma vez estabelecido um ambiente acidúrico na cavidade bucal, o número de microrganismos cariogênicos aumenta promovendo o início das lesões de cárie”, completa Camila. Uma mancha branca na superfície do dente pode ser um indicador inicial da cárie. Nessa etapa, é importante já realizar um tratamento para que a doença não evolua.

Quais são os tratamentos para cárie?

Muitos não sabem, mas a cárie é a perda mineral do elemento dental. Assim como outros problemas e doenças bucais, ela também pode ser tratada. De acordo com a dentista, a escolha do tratamento vai depender de qual estágio a doença se encontra. “Pode variar desde a aplicação local de flúor (selantes), alteração da dieta do indivíduo ou em casos de cavitação, o uso de materiais restauradores”, orienta ela. Vale destacar que a placa bacteriana, atrelada à dieta e alterações do pH bucal são fatores que propiciam a formação das lesões de cárie. Fique atento para que essa doença não desequilibre sua saúde bucal.

Veja os principais cuidados para prevenir a cárie

Segundo a profissional, existem várias maneiras de se prevenir da cárie. “Um dos principais mecanismos populacionais é a adição de flúor na água (fluoração), que é um mecanismo comum nas médias e grandes cidades”, destaca ela. Outra forma de prevenção é usar pastas de dentes que contenham flúor.

Controlar a dieta também contribui para manter sua cavidade bucal longe do problema. “Comer alimentos açucarados ou ricos em amido com menor frequência ao longo do dia ajuda a diminuir a quantidade de ácidos produzidos por bactérias cariogênicas e a perda de mineral do dente”, esclarece Camila. Para completar, mantenha as visitas regulares ao dentista. O profissional é capaz de ajudá-lo a se prevenir e recomendar dicas para ficar longe da cárie.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Camila Esteves - Especialista em Dentística reabilitadora e Estética
Vila Maria - SP
CRO-SP: 93.840