Ter que fazer um tratamento de canal está entre as principais preocupações de quem tem medo de ir ao dentista - afinal, essa especialidade da endodontia tem certa reputação! Quem nunca ouviu dizer que o procedimento dói, que é caro e outras histórias? Para desmistificar a cirurgia, o Sorrisologia conversou com o dentista André Alvim e preparou um guia completo sobre o assunto. Confira!

1. O que é tratamento de canal?

O tratamento de canal é feito com a retirada da polpa do dente, tecido encontrado na parte interna desses ossos. “A polpa danificada é removida e o espaço resultante deve ser limpo, preparado e preenchido”, explica André, que é especialista no tema. “O tratamento de canal é indicado quando a polpa está infeccionada ou morta, e isso ocorre principalmente nos casos em que a cárie é profunda, fraturas ou traumas.”

1.1. Etapas do tratamento de canal

Há quem diga que conhecer a fundo todos os processos de uma cirurgia ou intervenção médica ajuda a diminuir o medo que sentimos. Se você faz parte desse time, André conta um pouquinho mais sobre como funciona, passo a passo, o tratamento de canal:

Acesso: é preciso, primeiramente, abrir o canal para começar o tratamento. Ele alerta que é essa parte do procedimento que é realizada com o famoso “motorzinho” - fonte de receios para quem não gosta muito de ir ao dentista;

Remoção da polpa infeccionada: “Os canais são esvaziados, descontaminados, alargados e alisados”, explica André. Nessa parte, são utilizadas limas especiais e ferramentas para irrigação.

Obturação dos canais: para finalizar o tratamento, os canais são preenchidos permanentemente com um material específico, fazendo o selamento. O resultado final ainda pode ser protegido com uma coroa, prótese parcial que envolve todas as faces dentárias, que é cimentada no dente restaurado.

1.2. O tratamento de canal dói?

Provavelmente, o maior mito que existe ao redor do tratamento de canal diz respeito à dor que o procedimento causa. Se algum conhecido seu passou por ele, com certeza comentou sobre isso. Nada de pânico: o profissional esclarece o porquê de existir essa relação. “A dor é ocasionada pela infecção do dente e, quanto mais tempo o paciente demora na busca do tratamento, maior poderá ser a dor. Mas, a partir do momento que o paciente está anestesiado, o tratamento é totalmente indolor”, explica ele.

Para evitar que a infecção se torne um problema ainda mais doloroso, o ideal é ir ao dentista com frequência para avaliar sua saúde bucal. Ao primeiro sinal de que algo está errado com a polpa dentária, ele indicará o melhor tratamento para você!

2. Quanto custa um tratamento de canal?

Outra preocupação comum entre os pacientes é o custo do tratamento de canal. “Cada dente tem um valor, mas na média os preços variam entre 700 e 1500 reais para os dentes anteriores e entre 1000 e 2000 reais para os dentes posteriores”, conta o Dr. André.

É importante lembrar que o procedimento é um investimento em sua saúde bucal e que deixar o dente infectado sem tratamento pode prejudicar - e muito - seu organismo. Não deixe de conversar com seu dentista para saber qual é a melhor opção e orçamento para você.

3. Pós-operatório: tratamento de canal precisa de repouso?

O pós-operatório do tratamento de canal também tem suas exigências - mas, diferente da extração dos sisos e outras cirurgias mais invasivas, ele não pede um repouso tão intenso ou prolongado. Ou seja: você pode fazer o procedimento e, pouco tempo depois, seguir com sua programação de costume. “Após o tratamento de canal, a rotina pode ser mantida, como trabalhar e se exercitar”, diz André. No entanto, ele alerta que alguns cuidados são necessários nesse momento.

3.1. Cuidados depois do tratamento de canal

Na hora de comer: nas primeiras horas depois do tratamento de canal, é preciso tomar um pouco mais de cuidado durante a mastigação: há riscos de, por conta da anestesia, morder a bochecha enquanto come.  

Dor depois do tratamento de canal: “É normal o dente apresentar sensibilidade logo após o tratamento, e nesse caso o paciente pode tomar um analgésico, mas se a dor permanecer é necessário entrar em contato com o dentista”, alerta o André.

Enquanto aguarda a restauração definitiva: Muitas vezes, os pacientes ficam com uma sedação temporária no dente afetado até que o tratamento seja completo, normalmente com um material permanente ou uma coroa. “Outro cuidado importante a ser tomado pelo paciente é não mastigar em cima do dente até que a restauração definitiva seja realizada”, recomenda o especialista.

4. Vantagens do tratamento de canal

Mesmo que possa dar um pouco de medo, fazer um tratamento de canal traz muitas vantagens para sua saúde bucal. “Quando o problema atinge a polpa do dente, a única forma de recuperar é tratando o canal”, explica André. Apesar de existirem alguns fatores que podem dificultar o procedimento - como a anatomia do dente afetado ou calcificações que impeçam o acesso ao canal - ele ajuda a prevenir uma série de problemas derivados da infecção.

5. Mitos e verdades sobre o tratamento de canal

Por conta da sua reputação, além da fama de doloroso, existe uma séries de mitos ao redor do tratamento de canal. A gente te assegura: se você vai passar por esse procedimento, não há com o que se preocupar. O Sorrisologia também traz - e desvenda - hoje alguns dos boatos que mais se ouve a respeito da cirurgia!

5.1. O tratamento de canal escurece os dentes?

Verdade, mas nem tanto. Dependendo da técnica utilizada e do estado da lesão no momento do tratamento, pode fazer com que o dente fique com um aspecto manchado. Hoje, já existem diferentes opções de materiais e procedimentos para evitar esse resultado!

5.2. Só preciso de um tratamento de canal quando o dente doer?

Mito! Apesar de a dor ser um sinal bem característico de que há um problema na polpa dentária, ela também sinaliza que o problema já pode estar se tornando mais grave. Quanto mais cedo a infecção for descoberta - por isso a necessidade de consultas frequentes com seu dentista - maiores são as chances do tratamento de canal funcionar.

5.3. As cáries podem gerar a necessidade do tratamento?

Verdade! Em estágios mais graves e avançados, as cáries podem danificar os dentes até o seu interior, afetando a polpa - e, então, para que a infecção não se espalhe, é necessário fazer um tratamento de canal. Esse cenário, porém, pode ser evitado com uma higiene bucal cuidadosa, com escovação e o uso do fio dental diariamente.

5.4. Posso voltar a ter problemas no dente afetado?

Verdade! Caso o dente volte a passar por algum trauma ou fratura, pode ser que ele precise, novamente, de um tratamento de canal. No entanto, lembre-se: esse procedimento é a solução mais eficaz para o dente que foi afetado e, com tudo o que aprendeu hoje, pode ficar tranquilo.

Este artigo tem a contribuição do especialista:

André Alvim - Periodontista

Rio de Janeiro - RJ

CRO-RJ 24039