A cárie é uma doença bacteriana que, apesar de quase imperceptível a olho nu, pode fazer um estrago grande se não for tratada o quanto antes. Se você mantém uma rotina de visitas ao dentista, certamente é capaz de eliminar o problema com rapidez e sem grandes complicações. Contudo, aqueles que deixam para a última hora podem se deparar com um processo de cárie muito mais profundo, o que exige tratamentos mais invasivos como o tratamento de canal. Muita gente já teme só de ouvir falar, mas será que há motivos para temer? A equipe do Sorrisologia conversou com o cirurgião-dentista especialista em endodontia, João Queijo, e ele contou um pouquinho mais sobre o tratamento e o que esperar dele.

Como é feito o procedimento de canal?

O tratamento endodôntico, popularmente conhecido como tratamento de canal, é um procedimento que tem diversas possibilidades de indicação, que em sua maioria, se dá por uma infecção na parte interna do dente (conhecida como ‘câmara pulpar’ onde fica a polpa do dente), ocasionada pela doença da cárie, um quadro clínico de alta prevalência no Brasil. Segundo João, os pacientes que realizarem esse tratamento poderão manter seu dente e suas funções de mastigação e estética com saúde e segurança.

Estresse pode provocar fraturas e trincas dentárias

No entanto, podem existir outro motivos que levam o paciente a buscar por um tratamento de canal, como o traumatismo dentário, indicação protética e a fratura dentária. João ressalta também que na sociedade atual, o estresse é um fator que vem ocasionando alguns problemas, entre eles a fratura dentária: “A alteração da psique do paciente resulta num apertamento dos dentes tanto no sono, quanto acordado, podendo levar a fraturas ou trincas que podem, assim, fazer do tratamento de canal um procedimento indicado”.

Tratamento de canal vai doer?

É importante frisar que, em geral, o tratamento de canal não dói - principalmente após os avanços da ‘tecnologia’ na Odontologia. “O procedimento normalmente é conduzido de forma tranquila quando executado por um profissional devidamente experiente”, explica João ao concluir: “Uma série de materiais são utilizados para prevenir acidentes de trabalho, a começar pelo Isolamento absoluto, uma proteção que previne a ingestão acidental de algum instrumento e a possível contaminação por saliva durante o preparo”.

Como se preparar para o tratamento de canal e quanto tempo leva?

João explica que de forma geral, o procedimento pode ser feito em sessão única ou múltiplas sessões, dependendo da habilidade e experiência do profissional e da gravidade do problema. Os pacientes com condições muito específicas, como com necessidades especiais, dentes com grandes destruições ou com relatos de dor extrema precisam de algum tipo de preparo anterior ao tratamento”, explica o cirurgião-dentista. Ainda de acordo com ele, na grande maioria dos casos, após a devida avaliação e planejamento, os casos podem ser conduzidos com maior tranquilidade.

Cuidados após o tratamento de canal

Segundo João, é preciso atenção também no pós-tratamento! “O paciente deve reabilitar seu dente o mais rápido possível e, por isso, deve fazer acompanhamentos radiográficos periódicos, determinado pelo dentista para acompanhar o tratamento executado”, explica. Por fim, João esclarece que a melhor forma ainda de evitar um tratamento de canal é com a consciência da educação bucal. “Uma alimentação adequada, escovas de dente, fio dental e checkups periódicos são os melhores aliados”, garante.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
João Queijo - Cirurgião-dentista com especialidade em endodontia pela UNICSUL
São Paulo - SP
CRO-SP: 104.357