O tratamento de canal é um dos procedimentos bucais mais temidos pelos pacientes. Com uma fama de doer bastante e ter um pós-operatório que necessita de muitos cuidados, ela costuma assustar algumas pessoas. Indicado para tratar uma lesão ou cárie significativa que danificou a polpa do dente, não dá para fugir do tratamento quando indicado pelo seu dentista. No entanto, a odontologia evoluiu muito e o tratamento já é bastante diferente de como era realizado antigamente. Não há motivos para tanto pavor. Conversamos com o profissional de odontologia Silvio Pardo que explica como funciona a cirurgia e dá dicas para aquelas pessoas que ficam nervosas só de pensar nesse procedimento.

O que é o tratamento de canal?

O canal de um dente nada mais é do que um espaço interno, na coroa e na raiz, ocupado por uma artéria, uma veia, um vaso linfático e uma terminação nervosa. Quando há a contaminação desse nervo através de bactérias, ou quando ele sofre algum trauma, o dentista precisa abrir o dente, remover todos esses tecidos para retirar a infecção e preencher o canal com um material odontológico próprio de obturação para, assim, controlar a infecção. Esse procedimento é o que conhecemos por tratamento de canal, que tem como objetivo salvar um elemento dentário.

Por que o procedimento causa medo nas pessoas?

Como é uma área cercada por terminações nervosas, a operação tende a doer por conta da sensibilidade do local. Se você parar para conversar com pessoas mais velhas, certamente elas vão contar histórias nada agradáveis sobre o procedimento. A boa notícia é que isso é passado, já que com os avanços da odontologia o tratamento é mais confortável para os pacientes hoje em dia. “Com a utilização da anestesia local pelo profissional responsável, a dor passa e o tratamento torna-se mais tranquilo tanto durante a operação, quanto no pós-operatório”, tranquiliza.

Principais dicas para quem está inseguro com o tratamento de canal

Se você precisa fazer um canal e está nervoso com o procedimento, algumas dicas podem ser úteis nesse momento. Comece buscando um profissional experiente e preparado, no qual você tenha confiança. Pedir indicação de amigos e familiares pode ajudar. Se o nervosismo persistir e o você não conseguir relaxar nessa etapa da operação, Silvio dá uma outra dica: “Caso necessário, algumas clínicas possuem recursos para sedar pacientes com um médico anestesista.

Porém, o tratamento já é realizado com anestesia local que o próprio dentista aplica”, comenta. Além disso, antes de passar pelo tratamento, pesquise sobre o assunto, converse com seu dentista, tire dúvidas, entenda todas as etapas de um procedimento de canal e você verá que não é assim assustador como dizem. Pelo contrário, o tratamento de canal só trará benefícios à sua saúde bucal e a alegria de poder sorrir sem dor.

De que maneira o nervosismo pode atrapalhar o tratamento?

O nervosismo misturado com o medo em excesso, às vezes, pode provocar crises hipertensivas, que são o aumento da pressão arterial do paciente, podendo levar o dentista responsável pela cirurgia a suspender o tratamento de canal até o paciente conseguir se acalmar.