O uso de aparelho ortodôntico é extremamente comum. O dispositivo funciona para corrigir a posição do dentes e oclusão. O tratamento conta, principalmente, com a disciplina do paciente para ocorrer tudo certo e, assim, alcançar o resultado esperado. Após alguns anos com ele, seu dentista enfim te comunica a data de retirada. Mas o que parecia ser o fim, na verdade, se mostra como uma nova etapa. A dentista Andréia Cotrim destacou quais procedimentos são indicados depois de tirar o aparelho ortodôntico e por que eles são importantes.

Como ocorre o processo de retirada do aparelho?

É importante destacar que o procedimento deve ser feito pelo ortodontista e no consultório. Como explica a profissional, o aparelho é retirado com a ajuda de um alicate específico para os braquetes ortodônticos. “Desta maneira, não há nenhum tipo de lesão no esmalte do dente durante a sua remoção”, completa. Assim, com todos os itens removidos, o dentista também tira a resina, material que permite a colagem dos bráquetes nos dentes quando o aparelho é colocado. “ Para isso utiliza-se brocas específicas seguida de um polimento da face vestibular de todos os dentes, deixando a superfície toda sem resíduos, limpas e lisas”, explica Andréia.

Qual é a próxima etapa após a retirar o aparelho?

Com a retirada do aparelho, o paciente precisa passar pelo uso da contenção ortodôntica. “Ele que ajudará a manter os dentes na posição do final do tratamento”, esclarece a dentista. Assim, o profissional escolherá o tipo mais indicado, podendo ser removível, fixo ou placa de acetato. Pela severidade inicial do problema ortodôntico que se pode definir o tempo de uso da contenção. Além disso, é levado também em consideração a técnica utilizada pelo ortodontista. “Geralmente, é solicitado o uso de 24 horas por uma média de 6 meses a 1 ano e depois o seu uso vai sendo diminuído para o uso noturno”, exemplifica a profissional. E ainda, para que tudo ocorra corretamente, é preciso continuar com o acompanhamento do dentista.

Quais cuidados são necessários após a retirada do aparelho?

Com o fim do tratamento, será checado se os pontos de contato estão firmes e corretos, através do uso do fio dental. E também verificar a oclusão da arcada, com auxílio de um carbono para confirmar que não há pontos de interferência. “Isso é de maior força na mordida, que necessite de um posterior ajuste oclusal”, completa Andréia. No casos de pacientes que não seguem os cuidados, podem vir a apresentar sensibilidade no dente com interferência oclusal, retração gengival e alguma movimentação indesejada. Nesse último exemplo, a dentista explica que é chamado de recidiva ortodôntica, em que ocorre novamente a má oclusão, que foi corrigida. “Por isso, a importância do aparelho de  contenção”, finaliza.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Andréia Cotrim Ferreira - Ortodontista
São Paulo - SP
CRO-SP: 39000