Você tem notado seu filho roncando? Se isso tem sido constante, não deixe para lá. Conhecida como a Síndrome de Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS), ela surge devido uma série de fenômenos que ocasionam dificuldade no sistema respiratório, mau rendimento escolar, até complicações no meio bucal, como o bruxismo noturno. Para que não haja problemas maiores é importante consultar um odontopediatra e tratar o problema o quanto antes.

O que o ronco pode dizer da criança?

Não existe nada melhor que uma boa noite de sono. Ainda mais quando falamos de crianças que gastam muita energia durante o dia. O ronco pode atrapalhar os sonhos desses pequenos e tornar o dia mais cansativo. O mau aproveitamento escolar, hiperatividade, retardo do crescimento e o atraso no desenvolvimento são alguns dos reflexos da apneia. Outras consequências atingem até mesmo o sorriso, como deformação craniofacial, mandíbula retraída e bruxismo noturno. Problemas que comprometem a deglutição, a fala e o sistema respiratório (rinite e sinusite), também estão inclusos.

A odontopediatra Priscila Soares diz que a respiração precisa ser feita corretamente desde bebê, ou seja, pelo nariz e com a boca fechada, para não ocasionar complicações. "Isso vai estimular o crescimento correto do complexo craniofacial e de todo o corpo de maneira geral, durante a infância e adolescência, reduzindo muito a probabilidade da criança se tornar um adulto roncador e apneico".

Como a odontopediatria pode ajudar?

Levar a criança ao especialista no assunto é o primeiro passo para descobrir o que está acontecendo. Para tomar essa atitude é  importante que os pais fiquem de olho no comportamento do seu filho durante a noite, se estranhar alguma atitude diferente durante o dia, como a queda do rendimento escolar. "Se for constatada alguma anormalidade, deve-se fazer uma avaliação com o odontopediatra e, se necessário, encaminhar a criança para um tratamento com profissionais especializados em distúrbios do sono".

Descobrindo o problema

Priscila conta que a simples presença do ronco já pede o início do tratamento. Para descobrir a raiz do problema será necessário a realização do exame chamado Polissonografia. "O procedimento é feito em uma clínica especializada, durante a noite, que monitora o sono da criança/adolescente por um período de seis a oito horas". Nesta análise, os pontos estudados estão entre o número de apneias, a quantidade de oxigênio no sangue e os microdispertare.

Tratamento ortodôntico pode ser a solução

A ortodontia é uma área transformadora de sorrisos que é indicada em muitos tratamentos alternativos, como disfunção na ATM (DTM) e, também, a síndrome de apneia. "O tratamento odontológico para ronco e apneia é considerado uma das opções mais eficazes, depois da adenotonsilectomia, tanto para crianças e adolescentes, como para adultos", ressalva a odontopediatra.

O tratamento consiste no uso de aparelho intraoral que é moldado de acordo com as características da arcada dentária. "Sua função é sustentar a musculatura da garganta e promover o avanço mandibular, aumentando o espaço para a passagem do ar, nas vias aéreas", esclarece. Diferente do adulto, o tratamento do ronco e apneia na infância e adolescência também pode incluir a remoção das adenoides e tonsilas, mas sempre acompanhado do tratamento com o dentista especialista em sono e fonoaudiólogo, caso contrário o tratamento não será eficaz.