Escovar os dentes e, logo em seguida, as gengivas começarem a sangrar é uma situação bem desagradável. Quando isso se torna recorrente, porém, é preciso ficar bem atento para tratar o quadro da melhor maneira possível. A cirurgiã-dentista Daniele Haller bateu um papo com o Sorrisologia e esclareceu vários pontos sobre essa complicação. Confira!

Quais as possíveis causas para um sangramento na gengiva e que outros sintomas podem ser observados na gengivite?

De acordo com a dentista, "a principal causa é pelo acúmulo de placa bacteriana (cálculo e tártaro dental). O fator etiológico é bacteriano, causando uma inflamação no tecido periodontal (gengivas)”. Sobre outros possíveis sintomas, a especialista alerta que, além do sangramento, a gengiva pode ficar inchada e mais avermelhada que o normal, apresentando um quadro doloroso ao toque e durante a mastigação.

Como uma gengivite pode evoluir para a periodontite?

A evolução da gengivite para a periodontite acontece principalmente em casos onde o paciente já tem uma predisposição genética ou não tem os devidos cuidados necessários com a saúde bucal por um considerável período de tempo. A especialista explica que isso faz com que a placa bacteriana se expanda e invada os tecidos de suporte dentário (periodonto), causando uma inflamação nesse tecido, que é o que chamamos de periodontite.

Quais os tratamentos indicados para melhorar um quadro de gengivite?

Aconselha-se que o paciente faça consultas periódicas de 6 em 6 meses para fazer a terapia periodontal básica, conhecida como limpeza dentária. “Além da limpeza, os cuidados diários são de suma importância e imprescindível para manutenção de uma boa saúde bucal. Exemplos disso são o uso de fio dental pelo menos duas vezes ao dia, e a escovação com o instrumento correto sempre após se alimentar”, orienta Daniele.

Por que a saúde da gengiva é tão importante? Que cuidados devem ser tomados para evitar que esse tipo de problema aconteça?

A frase popular que diz que a saúde começa pela boca tem um enorme fundo de verdade. Segundo a dentista, um foco de infecção na cavidade bucal pode levar a inúmeras complicações, como o parto prematuro ou a pneumonia nosocomial, além de agravar quadros de doenças como a diabetes, por exemplo. Por isso é fundamental cuidar da saúde bucal e fazer consultas periódicas a um especialista. “Para pacientes cardíacos, renais ou diabéticos, é obrigatório fazer visitas frequentes ao dentista para dar continuidade ao tratamento sistêmico. Isso pode ser observado inclusive em casos onde o paciente só pode ir para a fila de transplante renal após realizar todo o tratamento bucal.”

Este artigo tem a contribuição da especialista:
Daniele Haller - Cirurgiã-dentista da Clínica DH Odonto com graduação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).
Rio de Janeiro - RJ
CRO-RJ 25.461