A saliva é um importante composto para o funcionamento e manutenção da saúde bucal. No entanto, há pacientes que apresentam problemas na produção desse líquidos, sendo insuficiente a quantidade para a realização das funções normais, como o processo digestivo. Uma das possíveis alternativas é o uso da saliva artificial. O dentista Maurício Duarte explica como funciona essa alternativa para o tratamento da xerostomia.

O que é xerostomia?

A xerostomia, assim como indica sua denominação (xeros = seco, stoma= boca), corresponde a sensação de boca seca, sem que ocorra a diminuição da quantidade de saliva. Geralmente, este distúrbio é causado pelo ressecamento bucal, como consequência, por exemplo, da respiração feita pela boca ou ronco. O exame para avaliar esse quadro é o sialometria. “Quando há uma real diminuição na produção salivar, os termos corretos são hipossalivação ou hipossialia”, explica o dentista. Os casos em que há a ausência da produção de saliva é denominado de assialia.

A saliva artificial é uma solução para a sensação de boca seca

Os pacientes que apresentam um quadro sério de comprometimento da produção salivar, a hipossalivação severa ou a quantidade nula (assialia), possuem a opção das salivas artificiais e os substitutos salivares como possíveis tratamentos eficazes. Esses métodos têm a função de aliviar os sintomas, proteger e hidratar os tecidos bucais. A composição dos substitutos salivares traz sais minerais e substâncias hidratantes, assim como a saliva humana. No casos das salivas artificiais, elas possuem essa mesma composição atrelada às enzimas semelhantes às reais. É possível encontrar o produto em formas como spray, que deve ser borrifado algumas vezes ao dia, conforme a prescrição médica. Essas substâncias agem auxiliando o sistema imunológico para defender os tecidos bucais.

Os problemas que a boca seca pode causar na sua saúde bucal

A boca seca pode acontecer em qualquer faixa etária. No entanto, a possibilidade de ocorrência é maior conforme o avanço da idade. Os idosos acabam sendo quem mais sofre com essa condição devido, principalmente, à ingestão de medicamentos que possuem como efeito colateral a diminuição da saliva. Esse quadro, seja causado por xerostomia, assialia ou hipossalivação, pode trazer diversos problemas para a sua saúde bucal. O profissional listou alguns deles:

- dificuldade para comer, mastigar, engolir ou falar;
- alteração do paladar;
- doenças de gengiva;
- cáries;
- feridas e úlceras bucais;
- irritação, ardência, sensibilidade ou queimação;
- dor na língua ou em outras regiões da boca;
- maior vulnerabilidade da boca às infecções;
- dificuldade no processo de digestão dos alimentos.

Outros tratamentos para a boca seca

O primeiro passo para poder iniciar o tratamento correto para a boca seca é fazer uma avaliação do grau de comprometimento da função das glândulas salivares. No caso das glândulas não estarem muito afetadas, são indicados métodos para aumentar a produção de saliva através de estímulos mastigatórios, gustatórios, farmacológicos e elétricos. Além disso, o paciente pode ser encaminhado a fazer acupuntura ou uso de laser de baixa potência, que apresentam bons resultados.