Saliva artificial é um líquido que reproduz a composição da natural, a que todos produzem. Ela traz sais minerais e substâncias hidratantes, capazes de proteger e hidratar os tecidos bucais. Disponíveis no mercado no formato de spray, o produto deve ser usado com a prescrição de um profissional e são mais indicadas para pacientes na terceira idade, sendo uma ótima alternativa para alguns problemas bucais. Isso acontece por conta das mudanças que o tempo pode fazer com o corpo, incluindo a xerostomia, também conhecida como boca seca. Nesses casos, há uma secura na região, envolvendo uma diminuição no fluxo salivar que pode trazer outras complicações. A cirurgiã dentista Luciana Maria Sicoli explica como o uso dessa tecnologia pode ser proveitoso para idosos.

O fluxo salivar costuma diminuir conforme os anos

A saúde bucal merece atenção durante todo os momentos da vida. E na terceira idade não seria diferente. “O fluxo salivar começa a diminuir e pode ser decorrente de vários fatores, principalmente sistêmicos, como diabetes, hipertensão, diálise renal, tratamentos para câncer, AIDS e também a má higiene bucal e o fumo”, comenta a profissional. Dessa forma, esses pacientes podem apresentar um quadro de xerostomia. “É a diminuição ou anulação da produção salivar, que causa secura da boca em razão da secreção insuficiente do fluido”, completa.

A diminuição da saliva pode causar dificuldade de mastigação e deglutição

Tudo no corpo tem um motivo de estar presente. As salivas não ficam de fora! “Além de umedecer e proteger a boca contra bactérias, ela tem a função de lubrificar os alimentos para facilitar a sua mastigação, gustação e deglutição”, define a especialista. Por isso que uma diminuição da saliva dela pode trazer alguns problemas bucais. Assim, pacientes com a sensação de boca seca apresentam uma certa dificuldade de ingerir alimentos sem líquidos, além de uma queimação com comidas picantes e frutas. Há casos em que também se apresentam complicações com a fala, diminuição do pH oral, halitose grave, ulceração e dor. “A diminuição dela causa secura, dificuldade de mastigar e deglutir alimentos, aumentando a incidência de cárie e tornando a mucosa mais vulnerável a infecções”, finaliza.

A saliva artificial substitui a natural e minimiza os sintomas

A saliva artificial é uma substituta da natural, ajudando a aliviar os sintomas da boca seca e minimizando os danos. “Ela age semelhante à natural, lubrificando e auxiliando as funções de auxílio da deglutição e reparação oral”, explica ela. Além de ser indicada para pacientes idosos, também pode ser usada em determinadas circunstâncias, como na hora de dormir ou em viagens aéreas. Ainda pode ser recomendada quando há o uso de medicamentos que apresentem a xerostomia como efeito colateral.

Pacientes na terceira idade podem se aproveitar da saliva artificial

Segundo a profissional, os pacientes já na terceira idade são aqueles mais indicados à utilização da saliva artificial. Ela apresenta as mesmas funções da natural, precisando o paciente somente verificar com o dentista a melhor indicação sobre a frequência de uso. Mas ela não dispensa o acompanhamento de um especialista. “Ela não estimula a produção dos fluidos pelas glândulas, sendo usada como terapia de reposição e não de cura”, finaliza.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Luciana Maria Sicoli Martins - Cirurgiã-dentista formada pela Faculdade de Odontologia de Lins
São Paulo - SP
CRO-SP: 58527