Você sabe o que é a furca? Característica anatômica dos dentes multirradiculares, ela é definida como a área entre as raízes onde estas começam a se separar do tronco radicular. Entretanto, se a separação se intensifica, pode levar ao surgimento da chamada lesão de furca - problema que pode levar à perda óssea nos dentes. Para saber tudo sobre o problema, conversamos com a cirurgiã-dentista Andrezza Lobo. Confira!

O que é lesão de furca? Conheça os sinais desse problema

A lesão de furca se forma com uma separação atípica da raiz dos dentes do tronco radicular, dando a impressão de afastamento da gengiva. A dra. Andrezza define: “É uma destruição dos tecidos de suporte dos dentes multirradiculares, definido pela perda inserção no espaço radicular, com retração de gengiva, assim muitas vezes expondo a furca e raízes”.

Existem muitos fatores que podem levar a essas lesões, desde a estrutura natural dos dentes a mudanças que ocorrem ao longo da vida, como a perda ou queda de um dente. Uma doença periodontal não-tratada, o acúmulo de placa e até mesmo cáries e questões derivadas delas podem influenciar no surgimento do problema.

Todas as lesões de furca são iguais? Dentista explica os diferentes níveis do problema

O problema também pode ocorrer de forma mais ou menos intensa, como explica Andrezza. O grau 1, estágio inicial da lesão, não é perceptível nas radiografias. O segundo é caracterizado por um afastamento maior, criando uma ou mais furcas em um mesmo dente. No grau 3, a lesão de furca já pode ser observada nos exames. O último grau, o mais grave, já apresenta lesão na parede óssea que segura o dente, além de retração da gengiva e outros tecidos moles.

Como a lesão de furca é diagnosticada?

Segundo Andrezza, a lesão de furca pode ser diagnosticada de forma clínica, com a utilização da sonda de nabers, ou radiográfica, com chapas da região que aparenta estar lesionada.

Quais são os tratamentos para a lesão de furca?

O tratamento para a lesão de furca busca evitar o avanço da separação das raízes dos dentes, prevenindo perdas de massa óssea. Para descobrir qual técnica é a mais indicada para você, vale contar com a ajuda do seu dentista, que vai avaliar o grau da lesão e o método mais adequado para seu caso. Tratamentos conservadores, por exemplo, costumam funcionar bem em pacientes com lesões nos estágios iniciais, desde que seja feita a manutenção correta.

“A terapia conservadora, não usará procedimentos invasivos e vai tentar conter o avanço da lesão com métodos clínicos, por meio do uso de técnicas de odontoplastia e osteoplastia, fazendo pequenas intervenções na perda identificada”, exemplifica Andrezza. “No caso de lesão de furca com envolvimento endo-periodontal, com tratamento endodôntico (canal) e em seguida tratamento periodontal. Ou então, com uso de técnicas mais invasivas, tentando regenerar as massas perdidas ou remover o dente lesionado.”

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Dra. Andrezza Marques Lobo - cirurgiã dentista especializada em endodontia
Rio de Janeiro - RJ
CRO-RJ 33980