Você já ouviu falar em rizólise? A anatomia humana é realmente fascinante e são vários os processos que a compõem para manter o corpo funcionando perfeitamente. No que diz respeito à cavidade oral, um desses processos é a rizólise. Este fenômeno é pouco conhecido, mas tem certa importância para a saúde bucal do indivíduo. Para esclarecer o processo e possíveis dúvidas, a estomatologista Dulce Cabelho conversou com o Sorrisologia e comentou um pouco sobre a rizólise.

O que é o processo de rizólise?

A rizólise nada mais é do que um fenômeno que está relacionado à reabsorção de raízes, podendo ser de dois tipos: fisiológica e patológica. A especialista explica que a reabsorção dentária é fundamental no processo de rizólise (reabsorção radicular fisiológica) dos dentes decíduos. Entretanto, as reabsorções dentárias patológicas - e especialmente a do tipo inflamatória - caracterizam-se em consequência e/ou complicação de várias situações clínicas, como traumatismos dentários e lesões periapicais inflamatórias decorrentes da cárie, provocando a perda de dentes.

O tempo de duração e outras características

Por ser um fenômeno natural, a rizólise dos dentes decíduos ocorre por tempo prolongado e se inicia entre 3-4 anos de idade, antes do dente sofrer a esfoliação, segundo a profissional. Caracterizado pela destruição gradativa dos tecidos dentários duros e moles, no processo de reabsorção radicular as raízes vão adquirindo novas configurações e essas mudanças são de grande importância clínica. “O profissional deve estar apto para o diagnóstico e as possíveis alterações que surgem durante o processo de reabsorção. O mecanismo de reabsorção da raiz (cemento e dentina) ocorre por atividade de células clastos, denominadas como odontoblastos”, conta.

A rizólise só acontece nos dentes decíduos?

Para quem não entende muito bem do assunto, Dulce explica que na reabsorção fisiológica dos dentes decíduos, há interação de diversos fatores que resultam em uma sequência de eventos coordenados. “A ação conjunta de fatores anatômicos, bioquímicos, mecânicos e genéticos geram, no final, a esfoliação dos dentes decíduos para que dentes permanentes possam irromper a gengiva e erupcionar em local anatômico apropriado”, finaliza.

Ela pode afetar o nascimento dos dentes permanentes de alguma forma?

Os dentes permanentes vão surgir em alguma hora e é importante estar preparado para seu nascimento. A rizólise antecede esse evento, de forma que todo o processo é mediado por um cronograma de erupção e crescimento da criança, de acordo com a estomatologista. Isso tudo desde que não haja nenhuma interferência derivada de fatores locais e sistêmicos, como síndromes, ou fatores traumáticos e infecciosos.

O que é a rizólise patológica e quais consequências ela pode trazer?

A rizólise patológica é considerada dessa forma quando o processo acontece em formato triangular, ou seja, de maneira não uniforme. “Embora seja conhecido o fato de que as células envolvidas no processo de reabsorção radicular são os odontoclastos, pouco se sabe sobre os mecanismos de ativação e sinalização molecular destes”, comenta. Além disso, a especialista indica que é necessário realizar estudos tanto sobre a reabsorção fisiológica quanto sobre a reabsorção radicular patológica inflamatória, de forma que seja esclarecido o mecanismo de ocorrência de tais processos.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Dulce Helena Cabelho Passarelli - Estomatologia, Patologia Bucal e Laserterapia
São Paulo, SP
CRO-SP: 35856