Existem inúmeras causas para o surgimento de uma dor de dente. Elas podem ser de origem dentária, muscular, nervosa, esquelética ou até mesmo por conta de problemas nos tecidos moles que compõem o sistema estomatognático, estruturas dentais que constituem funções comuns com a mandíbula. Dá para imaginar? Agora, independente da causa, a verdade é que toda dor de dente incomoda muito e não dá para ignorar por muito tempo. Quando o incômodo surge, contudo, medidas devem ser tomadas com cautela, principalmente se a ida ao dentista não puder ser imediata, para evitar riscos e até mesmo a piora do quadro. Conversamos com o dentista Paulo Pause que explica o que fazer.

Os riscos de se automedicar durante uma dor de dente

O surgimento da dor em um paciente é um sinal de alerta. Ele significa que seu organismo está reagindo a um agente agressor. “ Muitas vezes quando o paciente sente dor em algum dente é comum que ele recorra à remédios caseiros ou até mesmo à farmácias para aliviar de forma rápida a dor que está sentindo”, completa Pablo.

Ao procurar por métodos alternativos para aliviar a sua dor, o paciente pode acabar dificultando o diagnóstico do problema. O dentista adverte: “Aliviar os sintomas muitas vezes acaba mascarando o agente causador, ou até mesmo, inibindo os mecanismos fisiológicos inflamatórios do nosso organismo que são responsáveis pela nossa defesa”, comenta. Por isso, é importante que o paciente visite seu dentista antes de se automedicar. Se o dentista achar necessário, ele vai recomendar alguma medicação segura, que pode ser analgésicos ou  antibióticos.

Fique atento aos sinais e mantenha a higiene em dia

O ideal é que o paciente esteja sempre em alerta para a presença de focos infecciosos ou comportamentos anormais em sua superfície dental que podem ser origem da dor. Além disso, é importante que esse paciente mantenha os hábitos relacionados à higiene bucal em dia para prevenir fatores que podem dar origem a essas dores. “A prevenção é de extrema importância, pois o atendimento nessa condição sempre é mais dificultoso tanto para o paciente quanto para o profissional”, alerta Pablo.

Veja os procedimentos realizados em consultório para um paciente que chega com dores

Após chegar ao consultório, o paciente irá responder um questionário para o dentista avaliar questões fisiológicas e emocionais, que são essenciais para o atendimento. Essas questões vão contribuir no diagnóstico e posteriormente no tratamento da doença. “Além desse questionário, avaliamos visualmente os agentes causadores do processo doloroso. Depois da identificação, iniciamos a abordagem clínica operatória e só após o controle que é elaborado o pós-operatório”, explica o dentista.