A quiropraxia é uma vertente da medicina alternativa que evita o uso de medicamentos e procedimentos cirúrgicos. Além do mais, é uma técnica que oferece diversos benefícios para o paciente a longo prazo, principalmente no tratamento de doenças crônicas, conforme a cirurgiã-dentista Rhianna Barreto destaca. Para a melhora do bruxismo e da DTM, no entanto, a especialista ressalta que a quiropraxia deve servir como um tratamento complementar, mas não único. Entenda o por que disso a seguir.

O que é e para que serve a quiropraxia?

Segundo a dentista, a quiropraxia é uma técnica reconhecida pela OMS que trata diversas doenças dos músculos, articulações e tendões, vértebras e nervos através do manuseio corporal. “Ela consiste em alinhar, ajustar e estabilizar as estruturas, restabelecendo a saúde, focando na coluna vertebral, que é o centro de sustentação do corpo todo”, explica.
Isso tudo é feito através do trabalho em conjunto do manuseio corporal, exercícios focados, compressas, conselhos comportamentais e métodos para redução do estresse, que atuam de forma interligada.

Quiropraxia pode auxiliar no tratamento para bruxismo e DTM

De acordo com a especialista, a quiropraxia não deve ser vista como único tratamento nem para o bruxismo nem para a DTM, mas pode sim funcionar como um auxiliar do processo. “O tratamento é realizado pelo dentista associado com outras especialidades”, explica. Portanto, não adianta achar que só a quiropraxia é suficiente para melhorar esses quadros clínicos, já que ela deve trabalhar em conjunto com outros tratamentos para ser eficiente.

Os benefícios da quiropraxia

• Evita o uso de medicamentos e procedimentos cirúrgicos
• Resultados rápidos
• Melhora a saúde mental
• Alivia as dores
Promove qualidade de vida e de postura

Há contraindicações para a quiropraxia?

Desde que seja realizada com um profissional realmente qualificado, Rhianna afirma que tanto adultos quanto crianças, idosos e até gestantes estão aptos para passar por essa técnica. No entanto, é fundamental procurar um médico de confiança para isso, pois segundo a especialista, estudos mostram que a manipulação da espinha dorsal feita pela quiropraxia apresenta vários riscos, como sangramentos internos, formação de pseudo-aneurismas, rompimentos da dura-máter (membrana mais externa da medula espinhal), edemas, danos nos nervos, hérnia de disco e fraturas ósseas.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Rhianna Barreto - Cirurgiã-Dentista
Rio de Janeiro - RJ
CRO-RJ:37448