A periodontite não é uma doença nada fácil de lidar e pode trazer diversas consequências para o paciente, levando até mesmo a perda dentária em alguns casos. Por se tratar de uma condição delicada, muitos cuidados são necessários para evitar uma piora no quadro clínico e o paciente acaba se privando de certas vontades. Entretanto, quando o clareamento dental é uma dessas vontades, será mesmo que ele deve ser “esquecido” ou é possível realizar o tratamento, independente da periodontite? Confira o que o periodontista e implantodontista Jorge Luiz Amorim tem a dizer sobre o assunto.

O que é a periodontite?

Cuidar da saúde bucal é fundamental, pois às vezes pequenos problemas podem ocasionar em algo mais grave. Esse é o caso da periodontite, evolução da gengivite. Quando uma pequena inflamação na gengiva acontece devido aos tártaros e não é tratada corretamente, a periodontite é um grande risco. “É possível identificar a doença através de um exame clínico, onde o profissional vai observar a mobilidade dos dentes, a saúde da gengiva e a quantidade de osso da mandíbula e maxila com o auxílio de exames de imagens”. Dentre os principais sintomas da periodontite, o especialista destaca a mobilidade e alterações na posição dos dentes, o aumento da sensibilidade dentária e o mau hálito.

Quem tem periodontite pode fazer clareamento?

Boa notícia para quem pensa em fazer o procedimento, mas sofre com a periodontite: segundo o profissional, é plenamente possível realizar o clareamento dental desde que a doença esteja controlada e o paciente esteja fazendo acompanhamento regular com o periodontista. “Durante o procedimento, o dentista deverá ter o máximo de cuidado e preservar o máximo da gengiva, e entre os maiores cuidados que o paciente deve ter após o tratamento, a prioridade está nas medidas básicas de higiene bucal”, destaca.

Então já sabe, né? Não esqueça de praticar uma boa escovação diariamente após as principais refeições, usar o fio dental e utilizar enxaguante bucal em hipótese nenhuma. Para que o procedimento estético alcance o resultado esperado, é preciso cuidar muito bem da saúda da sua boca e, nesse caso, principalmente da gengiva também.

Tratamentos e contraindicações

O tratamento para a periodontite pode incluir diversas técnicas como a raspagem e alisamento articular ou a antibioticoterapia. Além disso, instruções de higiene oral feitas por um profissional e visitas periódicas ao cirurgião-dentista são atitudes necessárias para obtenção do melhor resultado. Já quanto a execução de outros procedimentos estéticos, Jorge alerta: “Pacientes com quadro de periodontite ativa devem evitar qualquer procedimento de ordem estética até que o quadro agudo da doença esteja dissolvido e o paciente esteja controlado”.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Jorge Luiz Amorim Carreiro - Periodontista e Implantodontista.
Rio de Janeiro - RJ
CRO-RJ: 24700