Ácidos e açúcares na boca podem provocar a cárie e disso você já deve ter sido alertado. Porém, é difícil de imaginar essa relação, certo? Tudo acontece em cadeia: esses alimentos podem diminuir o pH bucal que, por sua vez, propicia o aparecimento de bactérias que podem se aderir ao dente e causar a cárie. É um sistema repetitivo, caso o paciente faça o consumo regular de comidas e bebidas muito doces e ácidas. Para entender mais detalhadamente, pedimos à odontologista Heloísa Crisóstomo para explicar essa relação e dar dicas para a prevenção da cárie.

Alimentos doces e ácidos acumulam bactérias e atrapalham o pH da boca

Todos sabem que o maior vilão da cárie é o açúcar. A explicação para isso, segundo a odontologista, é por conta das substâncias que os açúcares liberam quando entram no meio bucal. “Alimentos doces viram alimento para as bactérias presentes na microbiota oral. Elas, por sua vez, liberam ácidos que diminuem o pH oral, destruindo os minerais dos dentes”, explica. Assim, quando ingerimos alimentos e bebidas doces e também ácidos, há um acúmulo das bactérias causadoras da cárie, deixando o pH menor do que o comum, ou seja, ácido.

O pH bucal ácido propicia o aparecimento das bactérias da cárie

Com a diminuição do pH bucal, as bactérias começam a surgir e deixam toda a boca mais sensível para problemas bucais. Em um primeiro momento pode acontecer a erosão ácida, um quadro caracterizado pela perda da primeira camada de proteção do dente, o esmalte. Assim, o paciente pode desenvolver sensibilidade dentária e outras complicações. Um outro caso é o da cárie. Com a presença desses pequenos agentes, o ambiente ácido só se recupera em 40 minutos, voltando ao pH normal. Nesse meio tempo, as bactérias podem se instalar por lá, dando início às lesões cariosas. Se o paciente, consumir ainda mais comidas ou bebidas ácidas e açucaradas, a cárie consegue se desenvolver por completo. “Consumindo esses alimentos com frequência, o pH ficará ácido por várias vezes ao longo do dia”, completa ela.

Dicas de prevenção da cárie

A melhor forma de evitar que ácidos causem a cárie é por meio da prevenção. Por isso, pedimos à profissional para listar dicas para que isso não aconteça:

Cuidado com o consumo frequente de açúcares e ácidos: não há necessidade de excluir esses alimentos. Mas evite ou controle o consumo dos seguintes alimentos: açúcares, laranja, limão, abacaxi e refrigerantes.

Dê intervalos entre o consumo de alimentos ácidos: tenha em mente que você não pode manter o consumo regular desses alimentos. “Limite o consumo diário em uma única alimentação e dê intervalos maiores entre o consumo desses alimentos”, indica ela. Se você ingeriu algum deles, espere algumas horas para consumi-lo novamente.

Saiba como fazer a higienização bucal: a higienização bucal é a melhor forma de eliminar essas bactérias da boca. Por isso, você deve aprender a maneira correta de realizar a escovação e passar o fio dental. “Fazer o uso errado é a mesma coisa de não estar fazendo”, alerta ela. Uma outra dica nesse sentido é, sempre depois de comer, esperar 30 minutos para fazer a escovação, deixando que a saliva regularize o pH bucal.

Vá ao dentista a cada 6 meses: algumas vezes, a cárie pode ser notada em seu estágio inicial, o que facilita no seu tratamento. Indo ao dentista com a recomendação de a cada 6 meses, o profissional pode avaliar o estado de sua saúde bucal e notar a presença de qualquer sinal da doença. Também lembre-se de perguntá-lo de como fazer a higienização adequada caso ainda haja dúvidas;)

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Heloísa Crisóstomo - Odontologista com aperfeiçoamento em prótese e prótese sobre implante
CRO: DF-CD-8149