Ter um sorriso bonito e alinhado ficou muito mais fácil depois do surgimento dos aparelhos ortodônticos. Mas, para aqueles que começaram a usar o acessório recentemente, muitas dúvidas podem surgir no meio do caminho. Isso envolve questões relacionadas ao tempo de uso, que tipo de escova é mais apropriada e para que servem os famosos elásticos que a maioria dos dentistas recomenda durante o tratamento.

Mesmo que cause um certo incômodo a princípio, os elásticos ortodônticos são fundamentais para deixar seus dentes com o melhor aspecto possível. Por isso, nós conversamos com a ortodontista Renata Paraguassu, que esclareceu quais as principais diferenças entre as posições dessas borrachinhas na nossa boca.

Qual a função dos elásticos no tratamento ortodôntico?

As ligas elásticas normalmente são anexadas ao aparelho fixo do paciente, auxiliando os movimentos provocados pela arcada dentária e melhorando o encaixe entre os dentes. “A força agregada do uso do elástico ao aparelho fixo potencializa a movimentação dos dentes no sentido e direção desejados”, explica a profissional. Entretanto, a orientação para o uso pode ser feita de formas distintas, uma vez que a função dos elásticos varia de acordo com as especificidades de cada caso. Isso porque, segundo Renata, a espessura e diâmetro do elástico podem variar de forma a ajustar o nível de força necessário. Por isso, além de diversas cores, também existem diferentes espessuras e diâmetros para o acessório.

Qual é a função das diferentes posições dos elásticos no aparelho?

Existem muitas possibilidades de posicionamento para os elásticos ortodônticos no aparelho fixo, dependendo do tipo de tratamento buscado no momento. “Eles podem ser colocados do canino superior ao molar inferior de um mesmo lado e vice-versa. Podem formar triângulos, com a base sendo na arcada superior ou inferior. Ou então ter o formato de um quadrado (box). Também podem ser aplicados transversalmente”, conta Renata.

Ela também explica que os elásticos que unem os caninos aos molares têm a função de correção de uma relação dentária classe II ou classe III. Ou seja, eles corrigem a posição do molar inferior, que está posicionado mais afastado do molar superior (classe II) ou a do molar inferior, que está na linha média em relação ao molar superior (classe III). Enquanto isso, os elásticos triangulares são bastante utilizados na finalização do tratamento, buscando maior encaixe entre os dentes de cima e de baixo.

Sobre os elásticos em “box”, ela diz que eles podem ser importantes para auxiliar o fechamento da mordida, e os transversais procuram corrigir desvios da linha média - isto é, procuram alinhar o posicionamento dos dentes baseados em uma linha imaginária vertical que marca os incisivos.

Por que tantos pacientes não gostam de usar os elásticos?

Esteticamente, os elásticos podem ser o pesadelo de algumas pessoas. Além de provocar certo incômodo e cansaço por ter que tirar e recolocar várias vezes ao dia, muitos consideram que os acessórios não colaboram para um visual descolado. Mas Renata alerta: “Se o paciente está verdadeiramente comprometido com a excelência de seu tratamento, deve ser persistente e focado no uso deles.” Logo, por mais que não seja exatamente um sonho usar os tais elásticos, é necessário lembrar da sua importância para o sucesso do processo.

Este artigo tem a contribuição da especialista:

Renata Paraguassu - Cirurgiã-dentista da Clínica Vivah Odonto

Rio de Janeiro - RJ

CRO-RJ: 24711