Em 2016, 15.490 pessoas tiveram o sorriso roubado por uma má notícia. É que, segundo o Instituto Nacional do Câncer, essa foi a estimativa de novos casos de câncer de boca só neste ano. Agora, para que o número de histórias com final feliz também continue crescendo, a prevenção deve vir acompanhada de informação. Para que não seja preciso lidar com a doença, que tal começar a saber o que fazer para mantê-la longe? Entenda as principais causas e formas de prevenção do câncer de boca nas palavras do dentista Daniel Cohen.

Livre-se do cigarro de uma vez por todas

Se você precisava de mais um empurrãozinho para largar o cigarro, saiba que ele e o câncer de boca são praticamente melhores amigos. Segundo Daniel, o tabagismo é o agente externo mais relacionado à doença e, por isso, deve ser reconhecido como o vilão que é. “O uso do cigarro deve ser descontinuado imediatamente, mesmo que seja necessária a ajuda profissional em decorrência da dependência química”, reforça.

Outro fator que, quando associado ao cigarro, pode aumentar os riscos da doença é o consumo frequente do álcool. Os dois hábitos, quando praticados juntos e regularmente, apresentam mais riscos do que se imagina. O dentista explica que a bebida potencializa a ação do tabaco, apesar de não ser, isoladamente, uma agente causadora da doença. “Os malefícios que o álcool causa a outras partes do corpo, como o fígado, justifica cautela no consumo a longo prazo”.

Preste mais atenção no que você come

Quando o assunto é alimentação, o especialista garante que a dieta é uma parte essencial na prevenção não só do câncer de boca, mas do câncer de uma forma geral. “A recomendação principal é comer cinco ou mais porções variadas de frutas e vegetais por dia e evitar alimentos processados”, ressalta Daniel. Por isso, fique de olho no que você costuma ingerir e cuide de cada refeição.

Não se esqueça do protetor solar labial

Os cuidados externos com o corpo também são bons aliados na prevenção quando se pensar em prevenir o câncer de boca. Um hábito simples e que poucos lembram de preservar é o de proteger os lábios dos efeitos do sol. O motivo é a famosa radiação UV. Ela também é conhecida como um dos grandes fatores externos relacionado à doença. Com isso em mente, o especialista reforça: é essencial o uso de protetor labial com fator de proteção solar.

Mantenha as visitas ao dentista em dia

Por último, mas não menos importante, a melhor prevenção sempre será o acompanhamento profissional. Daniel ressalta que qualquer paciente que apresentar lesão ulcerada, branca ou vermelha, e que não cicatrize em 10 dias, deve procurar um estomatologista para realizar uma consulta. “É importante lembrar que o maior problema do câncer de boca é o diagnóstico tardio, fato este que pode ser evitado através do acompanhamento das lesões bucais pelos especialistas da área”, aconselha.