Quando estamos com fome e olhamos para uma refeição bem gostosa, logo ficamos com água na boca. Isso quer dizer que salivamos. Apesar de ser bem lembrada neste momento, a saliva possui outras funções muito importantes em nossa boca que nem imaginamos, como na mastigação, no processo digestivo e até na proteção dos nossos dentes. A falta dela, portanto, pode comprometer a saúde da nossa boca. E ainda, o excesso dela também é capaz de modificar sua saúde bucal. Confira o que o dentista Max Ferreira tem a explicar sobre esse fluído poderoso e o que pode oferecer ao nosso universo bucal.

99% da saliva é composta por água

Segundo a definição do profissional, a saliva é composta por 99% de água e 1% de substâncias orgânicas e inorgânicas. "Dentre as inorgânicas temos, por exemplo, sódio, cloro, cálcio, fosfato e bicarbonato. Entre as substâncias orgânicas temos as proteínas e enzimas como a amilase e a lisozima", explica ele. Por conta dessa composição, a saliva é capaz de contribuir para a proteção da cavidade bucal.

Um escudo protetor para a boca

Esse fluído tem um papel muito importante quando falamos em mastigação, gustação e deglutição dos alimentos. "Facilita o processo digestivo além de umedecer e proteger a mucosa oral com sua secreção e fluxo constantes", destaca ele. Uma outra função da saliva é uma barreira protetora que previne nossos dentes de problemas bucais. "Sua capacidade de tampão neutraliza a acidez bucal e concede proteção aos dentes contra a cárie", comenta Max.

Falta de saliva causa xerostomia e outras doenças

Um homem adulto produz, em média, 1 a 2 litros de saliva por dia. Se não chegarmos a este número, teremos que nos preocupar. "A diminuição na salivação, conhecida como xerostomia, causa o aumento nos índices de cárie além de facilitar o surgimento de infecções de origem fúngica como a candidíase". A halitose, conhecida como o mau hálito, e as doenças gengivais também podem surgir com a carência de saliva.

As fases da vida influenciam na produção de saliva

A vida é preenchida por muitas fases e existem duas delas que a nossa produção salivar passar por extremos. "Quando mais jovens, a produção de saliva é maior. Os bebês, por exemplo, tem uma grande produção de saliva", conta o dentista. Já numa certa idade, gerar saliva também pode ficar cada vez mais difícil. "Com o envelhecimento, as glândulas salivares vão sofrendo atrofia e a produção de saliva vai , gradativamente, diminuindo". Neste caso, existe uma medicação chamada Pilocarpina que estimula a produção de secreções.

Coma alimentos "detergentes"

Para não sofrer com a falta de saliva, o profissional afirma que é importante ingerir alimentos "detergentes", como a maçã, pera, kiwi e melancia, que possuem pouco açúcar e um alto teor de fibras. "Eles limpam a superfície dos dentes durante a mastigação e as fibras presentes nesses alimentos proporcionam um considerável aumento na produção de saliva". E claro, nada melhor do que ingerir sempre muita água!

Use uma escova que ajuda na limpeza bucal

Apesar da saliva ajudar a limpar e proteger nossos dentes, ela não substitui aquela boa higiene bucal. Com uma escova antibacteriana fica mais fácil. Sua cerdas garantem uma limpeza de chefe por todos os ângulos da boca, conseguindo remover a placa bacteriana entre os dentes. Ela também possui suaves estimuladores de borracha que massageiam as gengivas para deixá-las mais rosadas e saudáveis.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Max de Aguiar Ferreira - Odontologista
Armação de Búzios - RJ
CRO-RJ :27553