Quem usa aparelho sabe bem como é essa rotina de idas e vindas ao dentista. E mesmo que role aquela preguicinha de ter que encarar o consultório todo mês, é importante não faltar, porque a manutenção é um passo fundamental para que o tratamento ortodôntico dê certo. Segundo o ortodontista Djalma Faria, a ortodontia cuida da estética dos dentes e do alinhamento, nivelamento e também visa resolver problemas funcionais. Mas para que isso funcione, será que o paciente deve ser tratado integralmente pelo mesmo dentista, ou dá para mudar? Veja o que ele tem a dizer sobre o assunto!

Manutenção do aparelho deve ser feita sempre com o mesmo profissional?

Às vezes imprevistos acontecem - como uma mudança de endereço, por exemplo - e o paciente acaba precisando trocar de dentista. Quando isso acontece, realmente não há muito o que fazer e o tratamento deve ser continuado por outro profissional, mas Djalma ressalta que a manutenção deve ser realizada, de preferência, sempre pelo mesmo profissional. “É ele quem conhece a fundo a má oclusão do paciente, quem propôs o plano de tratamento e que sabe o que precisa ser feito para que o tratamento flua da melhor maneira possível”, justifica.

Mudar de dentista pode prejudicar o tratamento?

O mais aconselhável é que o paciente permaneça com o mesmo profissional para realizar as manutenções do aparelho e acompanhar todo o tratamento de perto. No entanto, se isso não for possível por alguma razão, o especialista Djalma alerta que é necessário que o dentista responsável faça uma ficha clínica detalhada do paciente. Nela, deve conter o plano de tratamento escolhido, o que foi realizado em cada sessão até o momento e o tipo de aparelho utilizado (marca comercial, slot do bracket, arcos usados). Com essas informações, o novo dentista poderá prosseguir o tratamento sem problemas.

Um bom resultado também depende do paciente

A ansiedade para consertar logo os dentes e se livrar do aparelho é grande, mas para que o resultado seja satisfatório e não ocorra erros, o paciente deve colaborar e se comprometer com o tratamento. Seguir as orientações do dentista é fundamental, assim como não faltar às consultas de manutenção. “É preciso que a colaboração do paciente seja 100%: além da escovação excelente, o uso correto dos acessórios indicados e ir às consultas agendadas religiosamente são passos importantes”, conta o ortodontista. Fazendo tudo certinho, em breve o paciente poderá dizer adeus ao aparelho e olá ao seu sorriso novo!

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Djalma Faria - Ortodontista e Especialista em Visagismo Facial
Campinas - SP
CRO-SP: 59104