O ato de sorrir proporciona uma série de bons momentos na vida, como fazer novas amizades ou transmitir sentimentos positivos. Mas é através do sorriso que também podemos notar o surgimento de alguns probleminhas bucais, como a placa bacteriana. Uma maneira simples de percebê-la é notar se seus dentes estão mais amarelados ou, passando a língua, sentir os dentes ásperos. Essa camada pegajosa que se forma sobre os elementos dentários é o início da formação de uma indesejável cárie. E para não chegar neste limite, previna-se o quanto antes. Para entender sobre os cuidados, o periodontista Clébio Ferreira Jr. conversou com o Sorrisologia sobre o assunto. Leia as dicas!

O que é a placa bacteriana?

A placa bacteriana, chamada de biofilme pelos dentistas, é uma pequena película grudenta e incolor que se forma sobre nossos dentes. Segundo o dentista, todos nós temos essa placa por conta das inúmeras bactérias existentes na boca. Mas quando não realizamos a limpeza bucal e deixamos acumular é quando começa o problema. “Após uma refeição, restos de alimentos tendem a ficar depositados sobre e entre os dentes. Neste momento começa uma interação entre as bactérias e os resíduos alimentares, daí a formação da placa bacteriana”. Que situação, né?

Existem sintomas?

Clébio afirma que, inicialmente, a placa bacteriana não provoca sinais ou sintomas graves, a não ser a sensação de dentes rugosos. “Esse ambiente áspero facilita o acúmulo de mais placa bacteriana que resulta na progressão da doença”. Após alguns dias, essa placa pode provocar efeitos mais sérios, como sangramento na gengiva, vermelhidão, inchaço, halitose e sensibilidade, que são sintomas bem comuns da gengivite. No entanto, não deixe que esses sinais interrompam sua higiene bucal. Não deixe de seguir todas as etapas, inclusive o uso do fio dental, que é essencial para a remoção da placa bacteriana.

Se não cuidar, pode piorar

Assim como outros quadros de problemas bucais, o acúmulo de placa bacteriana pode evoluir para algo mais sério. "A placa sofre um processo de mineralização e endurece, dando origem aos cálculos ou tártaros. Sobre estes cálculos, uma nova placa surge, com isso, a gengivite pode evoluir para periodontite, doença onde o osso e outras estruturas de suporte dos dentes são comprometidas”, atenta o periodontista.

Não dispense o seu dentista

Quando há formação de tártaro a visita ao dentista se torna inevitável, já que somente o profissional é capaz de removê-lo. “Somente o periodontista irá, através de exames, detectar ou não a presença de doença periodontal e proceder com o correto tratamento, que se resume, na maioria das vezes, em raspagens dos cálculos dentários e outros cuidados profissionais”, esclarece. Por isso, manter as consultas em dia é uma maneira eficaz de se prevenir dos possíveis problemas.

Não deixe este problema atrapalhar seu sorriso

Você não quer deixar esse problema acabar com seu sorriso, né? Então, só seguir as recomendações do dentista. “A correta higiene bucal, com escovações após as principais refeições e uso de fio dental, consegue-se manter dentes e gengivas sempre saudáveis”, garante.

Para tornar este momento mais eficaz, utilize o creme dental com composto de Fluoreto de Estanho estabilizado (SnF2), que tem poder antibacteriano, justamente para combater essa inimiga bucal invisível e grudenta. O produto também previne a gengivite antes mesmo que ela apareça. Assim você só terá muitos mais motivos para sorrir!

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Clébio Ferreira Jr. - Especialista em Periodontia e Pós-graduado em Implantodontia
Niterói - RJ
CRO-RJ: 30156