Existem diversas funções do nosso corpo que são essenciais e acabamos não tendo total entendimento sobre elas. Um exemplo disso é a saliva. Grande responsável e indicador da saúde bucal, ela mantém as condições fisiológica dos tecidos orais. E isso tudo acontece graças à manutenção do pH dela. O patologista bucal Daniel Cohen tira as dúvidas recorrentes sobre o assunto.

O que é pH?

A sigla pH quer dizer potencial de hidrogênio. Isto é, uma forma de medida para descrever o grau de acidez ou alcalinidade de uma solução. A escala de pH vai de 0 a 14, sendo que valor neutro é o 7. As substâncias denominadas como ácidas vão dos valores entre 0 e 7, já as básicas (alcalinas) são de 7 à 14. No caso de uma saliva saudável, deve apresentar um pH entre 6,8 e 7,2.

Qual a importância do pH da saliva?

“Muitos microrganismos patogênicos (que causam doença) podem produzir ácidos através do açúcar consumido em nossa dieta (aqueles que causam a doença cárie),” explica o dentista. Por isso, a saliva tem como funções o tamponamento e limpeza desses micro-organismos. É ela a responsável por diminuir a acidez bucal, o que evita a proliferação de micro-organismos patogênicos que necessitam de um pH específico para viver. Assim, a saliva impede a desmineralização das estruturas dentárias, que pode levar ao aparecimento de cáries.

Quais são os riscos para a saúde bucal se o pH da saliva estiver baixo? E pH alto?

Durante todo o dia, de acordo com o tipo de alimentos ingeridos, o pH da saliva vai apresentando oscilações. No entanto, não basta apenas verificar o pH, o mais importante é quantificar o fluxo salivar (sialometria) e fazer uma avaliação da qualidade da saliva, conforme explica Daniel, “Uma saliva que produz muitas bolhas e forma fios, por exemplo, quando a boca é aberta, não é uma saliva de boa qualidade. Aquela saliva que forma muita espuma também não”.

Importância de avaliar o paciente como um todo

Antes de começar a analisar somente o pH salivar, é muito importante que o dentista avalie o paciente como um todo. Por exemplo, como o caso de saber se o indivíduo possui doença renal crônica. “Pacientes em geral devem consumir por volta de 2 litros de líquido por dia (sucos ou água, preferencialmente). Aquele paciente com doença crônica renal, no entanto, geralmente não pode consumir mais de 600 mL por dia.” ressalta o profissional.

Qual especialista devo procurar?

Se você está sentindo a boca seca, por exemplo, é preciso visitar um especialista para avaliar a qualidade da sua saliva. A estomatologia é uma especialidade odontológica e, em casos como esse, é indicado se consultar com um. “É o especialista que previne, diagnostica e trata das doenças do complexo bucomaxilofacial, incluindo a xerostomia (sensação de boca seca) e hipossalivação (diminuição do fluxo salivar)”, diz Daniel. Os profissionais dessa área conseguem garantir o melhor estado de saúde de seus pacientes principalmente por interagirem com especialistas médicos e cirurgiões-dentistas.