Aquele sangramento com certa frequência ao escovar os dentes pode ser um sinal de que, sim, você está com gengivite. A doença, causada por acúmulo de placa bacteriana, é apenas o início de outras e maiores inflamações periodontais que podem surgir e, por isso, deve ser tratada o quanto antes. Mas você sabe como funciona o tratamento da gengivite? Para esclarecer essa dúvida, o Sorrisologia separou um passo a passo simples sobre como a doença deve ser tratada. Veja a seguir!

Antes de tudo, entenda o que é a gengivite e o que pode causar a doença

A gengivite nada mais é do que a inflamação da gengiva. O quadro está diretamente relacionado com a falta de higienização correta, sendo o fator mais frequente entre os pacientes. Além disso, alterações hormonais, gravidez, estresse e alterações químicas na saliva também podem causar o problema. Por se tratar de um processo inflamatório, o inchaço, a dor, a alteração na cor da gengiva e os sangramentos são os sinais mais comuns da doença bucal. Entretanto, vale lembrar que, em estágios mais avançados da gengivite, a perda da papila gengival também pode ser um sintoma.

Por que é importante tratar a gengivite?

Se a gengivite já faz parte do seu sorriso, a melhor maneira de evitar problemas futuros é tratando-a com o auxílio de um profissional. Nesse caso, é importante ressaltar que o tratamento é baseado em eliminar as causas para reverter os sintomas da inflamação e impedir que ela avance para algum problema mais grave, como a periodontite. A alternativas para isso é profilaxia dentária, incluindo o uso de um aparelho ultrassom ou da raspagem. A escolha pode variar de acordo com o estágio da doença bucal. Mas, independente do tratamento escolhido, é importante que os cuidados com a higiene bucal sejam mantidos pelo paciente em casa.

O que devemos fazer para prolongar o tratamento da gengivite?

Embora a gengivite possua tratamento, é importante ressaltar que é responsabilidade de cada paciente dar continuidade ao procedimento através da higiene bucal. Por isso, a escovação diária e o uso de fio dental são fundamentais. Além disso, também é importante manter um controle anual no consultório. Mas, a qualquer sinal de sangramento ou inchaço na gengiva, é preciso diminuir o intervalo entre as consultas e procurar o seu dentista de confiança.

5 dicas para prevenir a gengivite

Depois de realizar o tratamento da gengivite, não significa que você estará livre de responsabilidades. Afinal, os cuidados bucais devem ser diários, certo? Por isso, separamos cinco dicas fundamentais para prevenir que a doença volte a afetar o seu sorriso. 

• Aposte em cremes dentais que contenham Fluoreto de Estanho, substância que ajuda a prevenir a gengivite e o sangramento gengival;
• Opte por uma escova elétrica para garantir uma remoção mais eficaz e prática da placa bacteriana;
• Invista em uma alimentação rica em vitamina C para fortalecer o sistema imunológico e, assim, prevenir a doença bucal;
• Evite fumar;
• Faça uma limpeza profissional, pelo menos, a cada seis meses.