O cigarro já é comprovadamente um inimigo do corpo e da saúde bucal. Além de escurecer os dentes e influenciar no aparecimento do câncer de boca, o cigarro também pode prejudicar todo o resultado quando falamos de tratamentos estéticos, como o clareamento dental. O procedimento que procura justamente deixar os dentes mais brancos requer alguns cuidados quando falamos de hábitos do dia a dia. O cigarro, assim, é um hábito que deve ser cortado logo no início do tratamento, garantindo o melhor efeito do clareamento. Para entender melhor como o fumo pode prejudicar a cor dos dentes, convidamos a especialista em dentística Heloísa Crisóstomo.

Por que o cigarro pode prejudicar o clareamento dental?

Independente da técnica usada, o clareamento dental age removendo as manchas extrínsecas do dente, ou seja, aquelas que apareceram com o cigarro ou com a ingestão de algumas comidas e bebidas. O cigarro, em especial, é uma grande barreira na hora de deixar os dentes mais brancos. "A nicotina, um dos componentes do cigarro, consumida tanto na forma convencional ou como na forma de mascar, causa pigmentação na mucosa e nos dentes”, explica a especialista. Assim, por mais que o clareamento dental seja o mais eficaz possível, as manchas sempre irão voltar. “Os pigmentos irão impregnar novamente na estrutura dentária, levando novamente ao seu escurecimento”, completa.

O mais indicado para esses pacientes, portanto, é que suspendam o hábito durante o tratamento e alguns meses depois também. Por isso, a dica da profissional é que o paciente fumante aproveite o tempo sem o cigarro, durante o procedimento, para largar de vez o hábito. “O ideal é o paciente animar com o tratamento estético e abandonar de vez o vício, já que as consequências podem ser irreversíveis. O escurecimento dental é dos males o menor dentre todos os prejuízos que o cigarro causa no corpo”, comenta ela.

Alimentos pigmentados e bebidas ácidas são também restrições do clareamento

Além do cigarro, outros agentes também podem influenciar o processo de clareamento dental. Entre eles, o principal é o corante. “Alimentos que possuem corantes, tanto natural como artificial, devem ser evitados, como açaí, vinho tinto, molho de tomate e outros”, indica a especialista. Uma outra indicação da odontologista é em relação aos alimentos com pH ácido. Acontece que, durante o clareamento, a sensibilidade dentária pode aumentar. Por isso, uma dieta que evita a acidez pode ajudar a diminuir os incômodos e dores. “Evitar sucos ácidos e refrigerantes garantem um clareamento mais duradouro e com menos sensibilidade”, conclui ela.

Como clarear os dentes sem parar de fumar?

O sucesso de qualquer um dos métodos do clareamento dental está em reduzir esses hábitos e seguir todas as recomendações do profissional. Mas, para o paciente que quer clarear os dentes e não consegue de forma alguma deixá-los branco, existem sim outras formas de ter um sorriso mais claro. Nessas situações, o mais indicado é recorrer aos procedimentos estéticos de lente de contato dental ou faceta de porcelana. Em ambas as técnicas, o profissional de dentística coloca sobre o dente do paciente uma fina camada de um material que simula um dente. Assim, o paciente alcança a coloração desejada sem necessariamente abrir mão de seus hábitos diários. Lembrando, contudo, que nada deve substituir a escovação diária com o uso de fio dental.

Este artigo tem a contribuição do especialista: 
Heloísa Crisóstomo - Odontologista com aperfeiçoamento em dentística, prótese e prótese sobre implante
CRO: DF-CD-8149