Um sorriso amarelado é um incômodo para muitas pessoas... Alguns hábitos, como o alto consumo de bebidas escuras, pode favorecer essa situação. Quando isso acontece, existem algumas opções para reverter o quadro e deixar os dentes mais brancos. O clareamento dental pode ser a opção escolhida e, entre eles, o tipo caseiro com aplicação de gel. Nesses casos, é preciso ter atenção redobrada com o estado de saúde da sua gengiva, para evitar possíveis problemas. Para quem costuma apresentar gengivite, será possível realizar o tratamento? A especialista em dentística Kalina Diniz respondeu essa e outras dúvidas sobre o assunto!

Clareamento dental usando gel pode ser indicado para qualquer paciente?

O clareamento dental pode ser indicado para quem deseja deixar seu sorriso mais bonito, mas com uma condição. “Desde que o paciente esteja com boa saúde bucal, com ausência de cáries, doenças periodontais como gengivite e retração gengival, ausência de trincas no esmalte, lesões na mucosa, entre outras”, afirma. Além disso, segundo ela, o procedimento também não é indicado para pacientes com menos de 15 anos, assim como para gestantes ou lactantes.

O que deve ser feito se o gel entra em contato com a gengiva?

Se durante o clareamento o gel vazar e acabar entrando em contato com a sua gengiva, isso pode causar alguns problemas. Caso isso aconteça, ela explica que o dentista pode passar água bicarbonatada no local para neutralizar a ação do produto, ou pedir que o paciente faça bochecho com essa substância. “O profissional também pode aplicar o laser de baixa frequência no local”, diz ela.

Esse acidente, no entanto, pode trazer danos para a sua saúde bucal. Kalina lista alguns deles: sangramento gengival, descamação e irritação da superfície da gengiva, acentuação de doenças gengivais, queimaduras gengivais e agudização das gengivites, danos infecciosos pulpares através da retração gengival, entre outros.

Pacientes com gengivite recorrente podem fazer uso do gel clareador?

O ideal nessa situação, ou no caso de qualquer outro problema envolvendo a saúde bucal, é que se trate primeiro para depois fazer o clareamento. Além disso, o procedimento deverá ser feito com a supervisão de um profissional. E isso vale para qualquer tipo de clareamento! “Nestes casos é recomendado primeiro tratar as gengivites, para depois fazer qualquer tipo de clareamento”, explica ela.

Quais são os cuidados essenciais para esses pacientes?

Quem sofre com esse problema deve ter atenção redobrada com as gengivas na hora de realizar esse procedimento. “O profissional deve fazer uma avaliação criteriosa da saúde dos dentes e gengivas, seguir a técnica correta do procedimento, o qual depende da concentração do agente clareador e da forma como é aplicado”, afirma. Além disso, ela destaca que deverá ser feita previamente uma barreira gengival, para proteger essa área e evitar problemas.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Kalina Diniz - Dentística e Odontologia Estética
São Paulo - SP
CRO-SP: 110560