Endocardite bacteriana é um nome complicado de um problema de saúde. “É a inflamação do coração causada por uma infecção bacteriana, uma doença grave que pode levar o indivíduo ao óbito”, define a estomatologista Liana França. Em casos de complicações comuns, até mesmo como o refluxo, o paciente também não pode se esquecer de se consultar com o dentista. E com a endocardite não seria diferente! O quadro tem bastante relação com a saúde bucal do paciente, que pode ser determinante na hora do paciente ter a doença ou não. Entenda melhor com os comentários de Liana.

Qual a relação entre endocardite bacteriana e saúde bucal?

A endocardite acontece na presença de bactérias na boca. “Pode ser desenvolvida quando bactérias da boca entram na corrente sanguínea e se alojam no coração, como após um tratamento dentário envolvendo sangue”, explica. A grande maioria dos procedimentos dentários pode, em algum nível, ferir as gengivas. Com o sangramento e a ferida em aberto, o paciente fica suscetível a uma proliferação das bactérias naturais da boca. Depois de um certo acúmulo dessas bactérias na área, inicia-se a infecção. Assim, as bactérias contaminadas, por meio do caminho feito pelo sangue, podem alcançar o coração e ali se proliferar, gerando uma situação de endocardite.

O tratamento é feito com dentista e cardiologista

Para tratar o quadro, o paciente deve recorrer ao acompanhamento de dois profissionais: o dentista e o cardiologista. Entre os principais sintomas da doença estão calafrios, febres, fadiga e dor nos músculos e nas articulações. Por serem sintomas bem comuns de outras doenças, o paciente deve, assim que possível, ir a um dos dois profissionais para ter o diagnóstico correto.

O tratamento é feito principalmente com a administração de antibióticos, podendo a cirurgia ser necessária. Trabalhando conjuntamente, o cardiologista irá analisar o caso e dar as medicações adequadas. Já o dentista verá o que pode ter causado a doença para, assim, pedir algum tipo de tratamento adicional, relacionado à saúde bucal. Sem a consulta profissional não há como ter certeza, mas a endocardite pode ter sido causada por uma cárie, gengivite ou tratamentos dessas doenças, como a raspagem no caso do tártaro. A consulta com o dentista ainda é muito importante já que a melhor forma de prevenir a doença é com uma boa higiene bucal.

Cuidados e prevenções são bem simples!

Por mais que a doença seja muito séria e, dependendo do caso, fatal, a prevenção é bem simples! Se a maioria das contaminações estão ligadas a procedimentos dentários que envolvem sangue, o paciente deve manter uma boa higiene bucal para que não precise realizar nenhum desses tratamentos. “O paciente deve possuir uma higienização bucal adequada, com o uso de bochechos específico sem procedimentos cirúrgicos e, em alguns casos, uso de antibiótico profilático antes do procedimento dentário”, finaliza Liana.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Liana França Araújo - Estomatologista e Mestre em Patologia Bucal
Niterói - RJ
CRO-RJ: 19174