O bruxismo é um problema que envolve ranger os dentes involuntário e pode provocar sérios prejuízos para esses elementos, mas também para a saúde bucal em geral. Um detalhe que deve ser levado em conta é que esse quadro, na maioria das vezes, se relaciona com problemas emocionais. Conversamos com a odontologista Katyuscia Lurentt para saber se o acompanhamento com psicólogo também se faz necessário nesses casos.

Entenda melhor o que é o bruxismo

“O bruxismo é uma desordem funcional, que tem como principais características o ranger e o travar dos dentes”, explica a profissional. Esse quadro costuma ocorrer com maior frequência durante o sono, trazendo também consequências durante o dia: sonolência e cansaço.

Segundo Katyuscia, o problema pode atingir pessoas de qualquer idade e está bastante relacionado ao nível de estresse, podendo provocar desgaste nos dentes, dores de cabeça e distúrbios na articulação temporomandibular.

Quais fatores indicam a presença do problema?

Você pode pensar: se o bruxismo costuma acontecer durante o sono, como posso saber que eu apresento esse quadro? Existem alguns fatores que podem indicar a presença desse problema. Desgaste dos dentes, dor nos dentes e dor de cabeça irradiando para região cervical estão entre eles. “Também é possível identificar estalos ou barulhos nas articulações, estalo no pescoço ao movimentá-lo para os lados, além de limitação de abertura ou fechamento da boca”, acrescenta.

É preciso que o paciente com bruxismo busque ajuda psicológica?

Ansiedade, estresse, raiva, frustração ou tensão. Esses são alguns fatores que podem provocar o bruxismo. Além disso, problemas de má oclusão, que é o alinhamento anormal dos dentes superiores ou inferiores, apnéia do sono, dor de ouvido ou dor de dente, efeito colateral de alguns medicamentos psiquiátricos e complicações de algumas doenças, como a doença de Parkinson e a doença de Huntington também podem ser a causa dele.

“Durante a anamnese, ou seja, avaliação com o cirurgião-dentista, também será avaliada a necessidade ou não de um tratamento psicológico”, afirma ela. Muitas vezes, é importante e necessário para combater o problema, a realização de um tratamento multidisciplinar, incluindo o psicólogo.

As placas interoclusais podem ser importantes para o tratamento

Segundo Katyuscia, a cura total para o bruxismo ainda é desconhecida. O tratamento consiste em reconhecer o problema e tentar achar as suas principais causas. “Nesse sentido, para alívio dos sintomas, um dos principais recursos é o uso de placas interoclusais”, diz ela. Essas placas são responsáveis por reduzir a atividade dos músculos durante a noite, protegendo os dentes dos desgastes provocados.

Mas também é muito importante diminuir a tensão psicológica. Para isso, pode ser recomendada a prática de esportes e exercícios. “Quanto aos distúrbios psiquiátricos relacionados ao bruxismo, como depressão e ansiedade, o mais indicado é a associação do tratamento à psicoterapia”, completa.