A Disfunção Temporomandibular, conhecida como DTM, pode causar muitas dores para quem a apresenta, principalmente caso o diagnóstico demore para ser realizado. Mas e se além dessa disfunção você ainda precisa usar aparelho ortodôntico? Será que esse tratamento pode agravar ainda mais as dores? Caso você se encontre nessa situação o importante é sempre buscar o auxílio de um profissional e tirar todas as dúvidas para evitar qualquer problema. Pensando nisso, o Sorrisologia conversou com a especialista no assunto Rhianna Barreto!

Entenda melhor a Disfunção Temporomandibular

O termo DTM pode parecer muito complicado. Ele nada mais é do que um nome que engloba problemas clínicos que incluem músculos da mastigação, articulação temporomandibular, conhecida como ATM, e as estruturas associadas. “Compreende a maioria dos diagnósticos responsáveis pela dor orofacial crônica”, diz a profissional. As dores, nesses casos, costumam ser recorrentes e podem causar impactos na atividade funcional e também na vida social.

“Dentre as diferentes alterações englobadas sobre o termo de DTM, destaca-se a dor muscular mastigatória”, diz. Ela é caracterizada pela dor, hipersensibilidade, fadiga e rigidez muscular. A DTM é um quadro multifatorial, ou seja, que envolve diferentes estruturas, o que torna sua compreensão e seu diagnóstico mais difíceis. Variáveis como sexo, idade, outras doenças e até mesmo fatores emocionais podem influenciá-lo.

O tratamento ortodôntico pode de alguma forma agravar os sintomas de DTM?

“Acreditava-se até recentemente que a má oclusão fosse o causador principal da DTM, mas estudos comprovaram que essas disfunções são diversas e, muitas vezes, com etiologias multifatoriais”, afirma Rhianna. Essas novas descobertas tornam a relação entre o tratamento ortodôntico e a DTM mais complexa.

Problemas de má oclusão podem estar relacionados a DTM, mas não são mais considerados seu fator principal. Em alguns desses casos, o uso do aparelho pode precisar ser indicado. “Mas é importante ressaltar que a DTM pode ter relação com fatores oclusais e não com o uso do aparelho ortodôntico, portanto não pode ser tratada com seu uso e não existe reação da melhora ou piora da DTM com o tratamento ortodôntico”, afirma.

Saiba o que fazer caso você tenha DTM e tenha que iniciar o tratamento ortodôntico

Caso você apresente esse quadro e precise iniciar um tratamento ortodôntico, o ideal é que seja acompanhado por um especialista em Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial. “Além disso, o ortodontista deve estar sempre atento a qualquer sinal ou sintoma de DTM e analisar cada caso dinâmica e funcionalmente”, alerta. Essa atenção deve existir desde o diagnóstico inicial, durante o tratamento, no momento de finalização da terapia ortodôntica e durante o acompanhamento posterior. “No final do tratamento, deve ser buscada uma oclusão em harmonia com todo o sistema mastigatório”, diz ela.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Rhianna Barreto - Cirurgiã-Dentista
Rio de Janeiro - RJ
CRO-RJ:37448