Que o cigarro faz mal muitos já sabem, o que não faltam são propagandas alertando sobre os malefícios do fumo para a saúde. Os motivos que podem levar uma pessoa a fumar são muitos, porém, as substâncias nocivas que ele contém são milhares. "O cigarro tem vários agentes cancerígenos, a fumaça junto a seus demais componentes contêm mais de 4.000 substâncias nocivas que podem causar problemas não só no organismo, como também na saúde bucal", explica o dentista Cláudio de Sá Rêgo Fortes.

Alguns números importantes

São mais de 50 doenças diferentes que esse hábito traz, principalmente as cardiovasculares, como o infarto, doenças respiratórias e o câncer. Mas os dados também revelam notícias animadoras para aqueles que desejam abandonar esse vício. Você sabia que bastam 20 minutos após fumar o último cigarro para a pressão sanguínea diminuir, as batidas cardíacas voltarem ao normal e a pulsação cair? E com 8 horas sem fumar já é possível que o nível do oxigênio se normalize e se iguale ao de uma pessoa não- fumante? Imagina se você abandonar o hábito de vez. Com certeza, só tem a ganhar.

Os malefícios para a saúde bucal

1. Alterações na voz

Quando ouvimos uma pessoa com a voz grave e rouca, logo temos a impressão que está resfriada ou que fuma. Tudo isso por que a fumaça do cigarro ressaca o trato vocal, causando irritação na mucosa do nariz, boca e laringe. Por defesa, o organismo forma um depósito de secreção ao longo das pregas vocais, provocando o tão chato pigarro. É nesta tosse que mora a consequência da irritação, favorecendo diversas alterações, além de provocar um intenso atrito e gerando lesões.

2. Boca seca

A saliva é a proteção do nosso universo bucal. É nela que encontramos as principais substâncias naturais que participam da limpeza da boca e do seu equilíbrio. Diminuir essa proteção aumenta os riscos de desenvolver as temidas cáries, apresentar dificuldade na mastigação, além de tornar a mucosa bucal mais sensível, provocando feridas na boca, fissuras na língua e o mau hálito.

3. Mau hálito

Pois é, o desagradável mau hálito. Basta chegar perto de um fumante para sentir o cheiro do cigarro. Além de se alojar em todo o corpo, o odor toma conta da boca, causando o cheirinho ruim. Nesses casos, mascar chiclete não resolve, infelizmente. Os odores da fumaça inalada são soltos no momento em que a pessoa fala ou respira, causando incômodo para quem está ao lado. Além disso, o uso do cigarro misturado com uma má higiene bucal pode tornar o hálito pior e extremamente desagradável. Melhor não passar por esta situação, né?

4. Gengivas e dentes escuros

A nicotina, além de viciar, causa uma lista inacabável de problemas. "Essa substância se acumula nas superfícies dos dentes, aderindo ao esmalte e deixando uma pigmentação escura que dificilmente, conseguimos retirá-la na escovação comum, sendo necessária a remoção pelo dentista", comentou Cláudio. Além disso, a nicotina acaba estimulando a produção de melanina, causando manchas acastanhadas, principalmente nas gengivas e bochechas de quem fuma. O lado bom é que podem desaparecer com o rompimento deste hábito.

5. Doenças periodontais

Sabemos que a principal causa dessas doenças é o acúmulo de placa bacteriana nas superfícies dos dentes. Esse problema pode acontecer em qualquer pessoa que não realiza uma higiene bucal adequada, mas pessoas que fumam acabam gerando mais concentração de placa do que as que não fumam. "O cigarro interfere no meio ambiente bucal com a presença de inúmeras substâncias liberadas, além do aumento da temperatura. Todas as bactérias presentes nessa placa são mais agressivas, causando formas mais graves de doença periodontal", explica o profissional de saúde. Essa gravidade está associada a duração e quantidade de cigarros fumados durante o dia. E você sabe que doenças periodontais podem levar à perda de dentes, não é? Não deixe a situação chegar a esse extremo.

6. Câncer Bucal

Quando falamos de cigarro é inevitável não tocar neste assunto. Mas não podemos negar que o tabagismo está associado aos cânceres de lábio, faringe, laringe, esôfago, pulmão e, dependendo do tipo e da quantidade usada, pode ter grandes chances de desenvolver o câncer de boca. Se a pessoa deixa de fumar esse risco diminui, mas só após 10 anos sem cigarros o risco de sofrer câncer de boca passa a ser igual ao de quem nunca fumou. O profissional orienta um autoexame. "Através dele podemos identificar lesões, mudança de cor na mucosa bucal, manchas que não desaparecem, feridas que não cicatrizam em 20 ou 30 dias, inchaços, caroços ou ínguas no pescoço".

7. Problemas respiratórios

Quem já andou pela rua atrás de uma pessoa fumando sabe muito bem o quanto é chato. Só de respirar a fumaça por alguns segundos dá vontade de tossir. Pois é, além de prejudicar quem fuma, o cigarro também pode causar problemas respiratórios em quem está ao lado. O chamado fumante passivo tem 25% mais chances de desenvolver doenças cardíacas mesmo sem nunca ter fumado. Mas o problema mais agravante está no usuário de tabaco. Além de provocar falta de ar, o cigarro pode causar ronco e problemas como bronquite, enfisema pulmonar, entre outros.