O que mais levamos para os consultórios dentários são perguntas - e não há nada de errado com isso. Se existe alguma questão a ser resolvida ou curiosidade a ser tirada, é lá que encontraremos a pessoa mais indicada para essa tarefa: o próprio dentista. Acostumado a esclarecer dúvidas de pacientes diariamente, o ortodontista Marcos de Borba listou para o Sorrisologia quais seriam as quatro indagações mais frequentes. Aproveite e confira: quem sabe você não encontra explicações para o que procurava?

1- Qual é o tempo de duração do tratamento ortodôntico?

Apesar de ser a pergunta mais frequentemente ouvida, Borba explica que é impossível respondê-la com precisão. "Na verdade, não existe uma receita de bolo. O principal fator que irá determinar o tempo é a severidade do caso a ser tratado. Quanto mais complexo for, mais tempo levará", justifica o dentista. No entanto, é possível prever alguns cenários a partir de certas características.

Em pacientes adultos, com casos de extração dentária, por exemplo, o tratamento tende a ser mais longo. Já nos mais jovens, quanto mais cedo for feita a intervenção, mais rapidamente se chegará ao resultado esperado. Isso acontece porque o profissional estará interceptando na fase de instalação do problema, o que torna o trabalho mais simples. "Na verdade, de um modo geral, pode-se dizer que, em média, um tratamento ortodôntico dura 24 meses - mas só se for obedecido rigorosamente todos os protocolos para que ele seja eficaz e seguro", conta Marcos.

2- Pode-se usar aparelho em qualquer idade?

O segundo questionamento mais feito nas consultas ao ortodontista mostra o quanto a busca por um sorriso alinhado vem crescendo em todas as faixas etárias. "Hoje em dia, adultos estão cada vez mais preocupados em recuperar o tempo perdido", justifica o dentista. Justamente por isso, é importante reforçar que sempre há tempo de corrigir os dentes. "Não existe limite de idade para iniciar um tratamento ortodôntico. Basta que a saúde periodontal esteja boa, sem perda de tecido de sustentação dos dentes, ou seja, os ossos e ligamentos", complementa.

3- Quando está indicado o uso do aparelho ortodôntico?

"O uso de aparelho está indicado toda vez que for constatado, pelo paciente ou pelo cirurgião-dentista, um mal posicionamento dos dentes ou uma discrepância entre as arcadas superior e inferior", esclarece Borba. Entretanto, o dentista lembra que a má oclusão, se tratada precocemente, pode simplificar ou até mesmo dispensar intervenções mais invasivas no futuro. Para todos os efeitos, fica a dica do dentista: procurar ajuda de um profissional ainda na fase de crescimento é o ideal para colocar os dentes na posição correta enquanto se formam.

4- Quais os equipamentos indicados para higiene em pacientes que usam aparelho ortodôntico?

Um paciente que ainda está se adaptando ao uso do aparelho fixo logo percebe que rotina é modificada em diversos aspectos. Já nas primeiras refeições, nota-se que resquícios de alimentos ficam facilmente retidos nos ferrinhos, portanto, algumas medidas precisam ser agregadas ao ritual de escovação diária. "Um paciente que faz tratamento ortodôntico não pode deixar de utilizar uma boa escova ortodôntica, que vai possibilitar a higiene adequada da superfície dentária e dos acessórios do aparelho", explica o dentista.

Ainda segundo ele, outros três aliados indispensáveis são a escova interdental - para higienizar embaixo do fio, ao lado dos bráquetes -, o fio dental e o antisséptico bucal com flúor. Cada um deles é indispensável para limpar todas as partes do sorriso e da estrutura metálica. Além disso, os tecidos moles como a língua e a bochecha não devem ser deixados de lado e precisam ser contemplados para se conseguir uma boca livre de perigos.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Marcos de Borba - Ortodontista
Porto Alegre - RS
CRO-RS: 12129