A perda óssea dentária é um problema bem chatinho e que, normalmente, atinge a população acima dos 45 anos. Segundo o ortodontista Djalma Faria, esse quadro está relacionado a diversos fatores como o diabetes, o tabagismo e o bruxismo - que é o hábito de ranger os dentes. “Ela se caracteriza pelo acúmulo de microrganismos que destroem as estruturas dos dentes da gengiva até os ossos”, explica. Vários fatores podem influenciar em um quadro assim, mas será que pacientes sob tratamento ortodôntico devem se preocupar? Confira o que o profissional fala a respeito!

Por que a perda óssea acontece?

Embora existam diversas causas para o problema, a periodontite - a falência das estruturas dentárias - é uma das causas mais comuns da perda óssea, segundo o especialista. “A falta de higiene bucal associada a outros hábitos pode agravar o problema e progredir para o tártaro, a quebra e a perda óssea dentária”, conta. É por isso que a doença precisa ser acompanhada de perto por um profissional, pois é ele quem vai indicar o melhor tratamento para solucionar o problema. “Para a prevenção, é aconselhável que a higienização bucal correta e o acompanhamento periódico com o dentista sejam hábitos regulares”.

O uso incorreto do aparelho pode ser uma das causas?

De acordo com o profissional, quando o tratamento ortodôntico é realizado de forma inadequada, o uso de aparelho pode, sim, ser uma das causas da perda óssea. Isso porque os acessórios associados ao aparelho fixo - como bandas, arcos, fios e botões - dificultam o processo de higienização, o que pode levar a uma periodontite e, consequentemente, a destruição do tecido ósseo. “Além disso, forças aplicadas incorretamente podem causar reabsorções dentárias. Portanto, é sempre bom lembrar que ao colocar aparelho ortodôntico, é necessário escolher um profissional adequado, um ortodontista”.

O tratamento ortodôntico precisa ser interrompido?

Isso vai depender muito da gravidade de perda óssea de cada paciente, que deve ser analisada por um profissional especializado. “Para casos mais brandos, o dentista realiza a descontaminação da região afetada e verifica se está tudo em ordem com o exame clínico e raio-X”, explica o ortodontista. Portanto, nesses casos, o tratamento não precisa ser interrompido. Já em situações mais complexas, a interrupção é necessária, pois deve-se fazer a reconstrução óssea por meio de cirurgia, onde o dentista realiza a limpeza da raiz do dente e coloca um material biocompatível que consegue formar um novo osso e os ligamentos da região periodontal.

5 dicas de como evitar a perda óssea

Para evitar preocupações com a perda óssea, é necessário ter alguns cuidados essenciais, pois, segundo Djalma, um problema sério como esse pode passar despercebido e provocar consequências sérias para a saúde do paciente. “Muitas vezes o paciente “acha” que está fazendo o certo mas, está apenas limpando parcialmente os dentes e permitindo a evolução da doença”. Confira como prevenir o problema:

1) Realize a escovação completa sempre após as refeições e antes de dormir;
2) Não esqueça do fio dental, ele é um grande aliado;
3) Visite seu dentista regularmente - a cada seis meses ou uma vez ao ano;
4) Prefira escovas com cerdas macias e sempre realize a escovação com movimentos suaves;
5) Se você tiver dentes desalinhados, não perca tempo e procure um ortodontista o quanto antes para iniciar o tratamento ortodôntico.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Djalma Faria - Ortodontista e Especialista em Visagismo Facial
Campinas - SP
CRO-SP: 59104