A erupção das bolhas do herpes labial podem significar um momento de incômodo. Junto a isso, o paciente pode notar outros sintomas como dor local, coceira e ardor. Grande parte da população possui o vírus, porém muitas podem nunca manifestar a doença. O contágio do herpes labial acontece através do contato direito, o que contribui para um número considerável de pessoas contaminadas. No entanto, o vírus só é transmitido no momento de erupção das bolhas e quando estas estouram. O que fazer neste momento? O dermatologista Caio Lamunier trouxe orientações para esses casos.

O herpes labial sempre estoura?

O sistema imunológico está diretamente ligado ao aparecimento do herpes labial. Isto porque, com a imunidade abalada, o vírus consegue entrar em ação e resultar na manifestação das pequenas bolhas na região dos lábios. Não é uma regra, mas elas podem estourar. O resultado disso é muita ardência no local. Vale destacar os pacientes que apresentam quadro de herpes recidivante, que devem, primeiramente, ter uma avaliação médica para verificar a imunidade. “Após isso, realizar um tratamento de profilaxia medicamentosa, ou seja, há remédios que tomados em determinados esquemas ajudam a prevenir a doença”, orienta o médico.

O que pode acontecer quando o herpes labial estourar?

Assim como explicado acima, o contágio do herpes acontece pelo contato direto. Por isso, o dermatologista alerta para os problemas que podem acontecer quando o herpes é manifestado. Entre eles, foram destacados três: contaminação de outras pessoas, cicatriz e dor. “Por isso é preciso agir rápido no tratamento”, destaca ele. Dessa maneira, nos casos em que as pequenas bolhas estouram, é indicado tratar o mais precocemente possível. Essa é a maneira mais indicada para que sejam prevenidas complicações do quadro.

Quais são os cuidados essenciais durante uma crise de herpes labial?

O herpes labial é uma doença que não tem cura. Por isso, os pacientes portadores devem recorrer a tratamentos para cessar o quadro e seus incômodos. Geralmente, a indicação é o uso de cremes locais que ajudam a controlar os sintomas, mas não aceleram a recuperação. Durante as crises, quando o vírus se manifesta e aparecem as bolhas, é preciso ter cuidado redobrado.

“Para evitar transmissão para outras pessoas, evite contato íntimo (inclusive beijos) e não compartilhe objetos de higiene pessoal e alimentação”, indica o médico. E ainda, evite tomar sol, pois pode retardar ainda mais a recuperação e resultar em manchas ou cicatrizes nos lábios. Vale lembrar que é importante também ficar atento ao sistema imunológico, para não facilitar o aparecimento do herpes.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Dr. Caio Lamunier - Dermatologista
São Paulo - SP
CRM-SP 124907