A sensibilidade dentária é um dos quadros mais comuns quando falamos de saúde bucal. Apesar de não apresentar gravidade, ele causa bastante incômodo pela dor que causa na hora de se alimentar, o que prejudica a qualidade de vida do paciente. Buscar orientação profissional é o primeiro passo para dar fim ao problema, mas também existem formas de se prevenir e manter seus dentes sempre fortes e livre de doenças bucais. O Sorrisologia convidou o odontólogo Viníciu Barçal para montarmos um manual da sensibilidade dentária com tudo o que você precisa entender sobre o assunto.

O que é sensibilidade dentária?

A sensibilidade, chamada entre os profissionais de hipersensibilidade dentinária, tem um único sintoma bem claro! É a dor ao comer alimentos muito gelados ou muito quentes - em alguns casos também alimentos doces. A sensibilidade se desenvolve quando a nossa primeira camada de proteção dentária, o esmalte, é desgastado. Por conta disso o esmalte fica exposto, liberando o acesso, por meio de tubos dentinários. Esses tubos, por sua vez, são cheios de líquidos e terminações nervosas, chegando até a polpa dentária. "Existem estímulos que levam a movimentação desse líquido, como mudança de temperatura, ar e alimentos doces, alterando a pressão interna dos túbulos e ativando as terminações nervosas. O resultado disso é o surgimento da dor por sensibilidade", explica.

Sensibilidade nos dentes tem 3 causas principais!

Normalmente, a sensibilidade dentária é causada por algum problema já existente na saúde bucal do paciente. Mas, no geral, existem 3 causas principais da hipersensibilidade:

Escovação incorreta: é muito comum que o paciente acredite que escovar os dentes com força irá eliminar todas as bactérias do dente. Mas, na verdade, esse hábito provoca a abrasão, expondo a dentina. Colocar bicarbonato de sódio por cima da pasta de dente também pode ter o mesmo efeito!

Erosão ácida: a erosão acontece quando o meio bucal se torna muito ácido, desgastando o esmalte. "Pode estar associada a uma dieta alimentar com característica muito ácidas, com grande quantidade de alimentos cítricos ou refrigerantes com baixo pH, levando à perda do esmalte dentário que protege o dente", esclarece o profissional.

Retração gengival: acontece com uma diminuição do volume da gengiva. "Causada por doenças como gengivite, periodontite ou por trauma, a retração da gengiva expõe as raízes do dente formadas apenas por dentina com milhares de túbulos dentinários permeáveis", finaliza.

Sensibilidade dentária: tratamento

O tratamento da sensibilidade deve ser feito em 2 etapas:

1 - Tratar o problema que causou a hipersensibilidade

2 - Diminuir os danos provocados pela complicação, principalmente, recuperar o esmalte dentário.

No primeiro estágio, o tratamento pode ser mais simples. Se o caso for de escovação incorreta e de retração gengival, uma simples visita ao dentista já pode resolver! A mesma coisa serve para pacientes com dietas muito ácidas, sendo necessário consultar um nutricionista para rever a alimentação.

Já o segundo momento pode precisar de intervenções cirúrgicas. "Em casos de perda de parte da estrutura dental e exposição da dentina, pode ser feito restaurações em resina, recobrindo a dentina na região onde se perdeu esmalte", explica. Já com a retração gengival, também é possível realizar uma cirurgia plástica para recuperar o tecido gengival. Uma outra opção é a aplicação de lasers. "O laser promove o selamento dentinário, obliterando (fechando) a entrada dos túbulos expostos", comenta.

A prevenção da hipersensibilidade dentinária pode ser simples!

Além de evitar alimentos ácidos, a prevenção da sensibilidade dentária também envolve manter em dia as consultas com o dentista. "A prevenção para a hipersensibilidade dentinária é simples: prestar bastante atenção nas instruções de como proceder a higiene bucal passadas por ele e evitar consumir alimentos frios logo após um alimento quente e vice-versa", finaliza.

Este artigo tem a contribuição do especialista
Vinícius Barçal - Odontólogo e Especialista em Estética
Rio de Janeiro - RJ
CRO-RJ: 3979-7