Pular para o conteúdo principal
Logo Facebook Powered By Logo OralB
14.12.2015

O que é herpes labial? Entenda causas, sintomas e controle desse vírus

O herpes é uma doença contagiosa que se caracteriza pelo aparecimento de pequenas bolhas agrupadas. Pode surgir em diversas partes do corpo, em especial, nos lábios
A contaminação pode ocorrer durante um beijo ou em uma relação sexual através do contato direto do local lesionado com a pele ou a saliva da pessoa que não possui a doença
Após a primeira infecção, o vírus permanece no corpo humano sem nenhum sinal ou sintoma, podendo ser reativado tempo depois para produzir a doença recorrente que, geralmente, é menos grave que a infecção primária
Apesar de não existir relação do herpes com má higiene bucal, não deixe os cuidados bucais de lado e mantenha-se longe de outras doenças por meio da escovação e uso do fio dental
A dermatologista Betina Stefanello dá algumas dicas para evitar a transmissão do herpes: evitar o beijo na boca,  falar muito próximo de outra pessoa e usar preservativo durante o ato sexual

Expert

Betina Stefanello de Oliveira

Betina Stefanello de Oliveira

CRM-RJ: 52-913715

Médica Formada pela Universidade Federal de Santa Catarina. Dermatologista pelo instituto de Dermatologia Prof. Azulay da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro Título de especialista em dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia Preceptora da especialização em Dermatologia do Instituto Prof. Azulay da Santa Casa do RJ

Um belo dia você percebe algumas pequenas bolhas no seu lábio, talvez elas ardem um pouco. Inicialmente, você acha que não é nada ou apenas algumas aftas chatinhas. O problema é que, de repente, essas bolhinhas podem significar o surgimento de um indesejável herpes labial. “É uma doença contagiosa muito comum causada pelo vírus HSV, que se caracteriza pelo aparecimento de pequenas bolhas agrupadas especialmente nos lábios”, explica a dermatologista Betina Stefanello. Para entender mais sobre esse

Entenda melhor o herpes

Além da boca, o vírus herpes pode aparecer em qualquer outra parte do corpo que ocorrer contágio. A especialista Betina afirma que existem dois tipos de HSV. “O tipo 1, que frequentemente se associa as lesões orais, e o tipo 2, que é responsável por 80 a 90% das lesões genitais”.

Como acontece o contágio?

A contaminação ocorre pelo contato direto do local lesionado com a pele ou a saliva da pessoa que não possui a doença, podendo acontecer durante um beijo ou em uma relação sexual. A infecção inicial pode não causar os primeiros sintomas, como bolhas e dor, mas isso pode variar com o tempo. “Uma vez que uma pessoa é infectada, o vírus do Herpes Simples se esconde nas células nervosas e se reativa periodicamente, às vezes causando sintomas, às vezes não”. É preciso ficar atento!

As lesões do herpes

Após o contágio, a pessoa poderá ter, ou não, as lesões primárias e, com o tempo, as secundárias. O paciente poderá desenvolver as lesões da infecção primária, que geralmente são mais graves, ou apresentar uma infecção subclínica, na qual não existem lesões aparentes. "Após a infecção primária, o vírus tem a capacidade de permanecer no corpo humano sem nenhum sinal ou sintoma, podendo posteriormente ser reativado para produzir a doença recorrente (herpes recidivante), que geralmente é menos grave e de duração mais curta que a infecção primária”, diz.

Herpes e saúde bucal

A profissional explica que não há evidências científicas que comprovem relação entre herpes labial e má higiene bucal. "No entanto, alguns fatores como traumatismo, estresse e exposição prolongada ao sol favorecem o aparecimento”. Mas isso não é motivo para deixar a higiene oral de lado. Mesmo não tendo nenhuma relação com a doença, nossa boca é formada por milhares de bactérias que precisamos combater para não causar problemas em nosso sorriso.

Limpeza profunda garante um sorriso lindo

Um creme dental com ação de limpeza profunda é excelente e tudo o que você precisa. De forma alguma ele elimina o uso das outras ferramentas de higiene, como o fio dental e o enxaguante, mas possui um sistema único de limpeza que ajuda a eliminar todas as bactérias e alcançam, inclusive, áreas difíceis de acessar, deixando uma sensação refrescante muito gostosa na boca.

Tratando e convivendo com a doença

A herpes não tem cura, mas a melhor forma de controlá-la é tratando. “O tratamento deve ser iniciado tão logo que comecem os primeiros sintomas, assim o surto deverá ser de menor intensidade e duração". Além de zelar por sua saúde, Betina afirma que é importante tomar alguns cuidados para evitar que outras pessoas peguem a doença.

- Evite muito próximo de outras pessoas.

- Beijar é muito bom, mas deve ser evitado durante o surto do herpes.

- Use sempre preservativos durante relações sexuais.

- Lave sempre bem as mãos após cuidar do local afetado.

- Tenha cuidados aos locais de higiene. Uma infecção secundária por bactéria pode acabar piorando o quadro.

Este artigo tem a contribuição da especialista:
Dra. Betina Stefanello de Oliveira - Dermatologista
Rio de Janeiro - RJ
CRM-RJ: 52-913715

Mais Matérias: Herpes Labial
Herpes bucal x ansiedade: entenda como esses dois estão interligados e como prevenir a manifestação da doença
Herpes Labial
Herpes bucal x ansiedade: entenda como esses dois estão interligados e como prevenir a...
Você sabia que a ansiedade pode ser a causa de alguns problemas bucais? Entre eles, está a herpes ....
com a participação de:
Daniel Cohen Goldemberg
CRO-RJ: 29267
Herpes labial: o que é? Como surge? Quais são os sintomas? Qual é o melhor tratamento? Saiba tudo sobre o assunto
Herpes Labial
Herpes labial: o que é? Como surge? Quais são os sintomas? Qual é o melhor tratamento?...
Você desconfia que está com herpes labial? Olhar para o espelho e notar uma feridinha na boca pode...
com a participação de:
Dulce Helena Cabelho Passarelli
CRO-SP: 35856
Início do herpes na boca: veja como identificar os primeiros sintomas
Herpes Labial
Início do herpes na boca: veja como identificar os primeiros sintomas
Você já teve herpes na boca? Essa doença é muito conhecida por seu poder de...
com a participação de:
Dulce Helena Cabelho Passarelli
CRO-SP: 35856
Herpes labial na infância pode resultar de um sistema imunológico enfraquecido
Herpes Labial
Herpes labial na infância pode resultar de um sistema imunológico enfraquecido
Uma criança com febre pode significar diversas coisas, inclusive, herpes labial . Isso mesmo! Bolhas...
com a participação de:
Vânia Côrtes
CRO PR 14.282
Gengivite estomatite herpética: conheça o quadro e saiba os riscos durante a infância
Herpes Labial
Gengivite estomatite herpética: conheça o quadro e saiba os riscos durante a infância
Os papais e as mamães de plantão sabem como deve ser o cuidado para que os pequenos não...
com a participação de:
Vânia Côrtes
CRO PR 14.282
Herpes labial e intolerância a glúten: entenda a relação
Herpes Labial
Herpes labial e intolerância a glúten: entenda a relação
Você já deve ter lido em algumas embalagens de comidas a seguinte frase: contém glúten. O...
com a participação de:
Ludimila de Gouvêa Cerqueira e Ferreira