Já fazia um tempo que o dente de leite do seu filho estava mole e você já ficou em alerta para levá-lo ao dentista. Entretanto, antes mesmo que você conseguisse marcar a consulta, o dente da criança caiu sozinho, sem maiores intervenções. Quando uma situação como essa acontece, é necessário levá-lo ao odontopediatra? De acordo com Simone Bastos, a decisão vai depender muito do estado da criança e do dente. Lembre-se que a troca de dentição deve ser um momento bem tranquilo e é importante que não haja traumas físicos e psicológicos para o pequeno. Descubra com a especialista sobre qual atitude tomar.

O que fazer quando o dente de leite cai em casa?

Quando os pais menos esperam, a criança já está com os dentes de leite moles e prestes a trocar pelos permanentes. Esse processo de amolecimento é chamado de exfoliação e precisa seguir a ordem natural, gradativa e lenta, sem a necessidade de intervenção de um adulto. “No caso da troca do decíduo pelo permanente, se o dente ficou bem molinho e só precisou de uma ajuda para soltar da gengiva, não precisa levar a criança ao consultório”, explica Simone. Em outras situações, como um trauma dentário, a avaliação especializada será necessária.

Sinais que podem levar a criança ao odontopediatra

Quando as crianças percebem que o dente está amolecendo é bem comum elas brincarem de mexer. Simone diz que isso é bom para estimular a queda mesmo que leve um tempinho. Aliás, não se preocupe se a troca dos dentes demorar muito. “É comum que leve mais de um mês entre o dente começar a amolecer e realmente cair”, alerta. Por outro lado, é preciso estar atento: se o permanente nascer atrás do decíduo e não houver sinal de amolecimento, leva seu filho ao dentista o quanto antes. “É bem provável que seja necessária a remoção cirúrgica do dente de leite, para evitar complicações ortodônticas”.

Atenção papais: nesses casos em que o dente de leite não amolece, é contraindicado forçar a retirada em casa. “Uma remoção caseira ruim pode causar traumas psicológicos ou físicos, como fratura dentária e sangramento excessivo”, alerta a profissional. Por isso, é importante procurar um odontopediatra para conduzir o caso da melhor maneira possível. Não deixe de levar seu filho à consulta antes mesmo da troca de dentição, até para receber todas as orientações e estar preparado para o momento.

Como preparar o seu filho para este momento

O primeiro passo é sempre tranquilizar a criança. Para isso, evite frases como “arrancar o dente”, que pode provocar medo e ansiedade. Procure utilizar a palavra “trocar”, soa bem melhor e ela vai levar a situação numa boa. A odontopediatra diz que é importante contar ao seu filho tudo sobre o procedimento. “Explique o que vai acontecer, para que ele não tenha medo de perder o dente”, diz. Nessas horas, também vale dar uma empurrãozinho. “Pedir para comer alimentos duros, como uma bela maçã, pode ser aquela ajuda que estava faltando ou então tente remover com uma gaze, balançando para frente e para trás e dando uma puxadinha, mas só se estiver bem mole”, ensina.

Simone conta que as crianças esperam muito a hora de ganhar um novo dente e é importante que os pais façam desse momento algo bem bacana. “Pode até chamar a fada do dente para alimentar esse lado lúdico e mágico da infância”. E não se espante se a gengiva sangrar um pouco com a retirada do dente. “Peça seu filho para morder uma gaze por alguns minutos e troque quando já estiver com bastante saliva, até que o sangramento pare”, conclui.