Você foi numa consulta de rotina com seu dentista e, para sua surpresa, descobriu que deveria passar por um tratamento de canal. Embora não estivesse nos seus planos, você entende que é melhor realizar logo o procedimento para o bem da sua saúde bucal. Para te tranquilizar, o dentista diz que o tratamento é super seguro e feito sob anestesia, mas ainda assim você não consegue deixar a tensão de lado. A dentista Viviane Ferrari trouxe explicações sobre quais situações podem minimizar o efeito da anestesia e se o seu nervosismo pode ser uma delas.

Em quais procedimentos a anestesia é utilizada?

Ouvir a palavra anestesia faz qualquer um associar diretamente à realização de uma cirurgia. Por isso, esse procedimento acaba não sendo comumente relacionado à área odontológica. Porém, o que realmente acontece é o contrário, já que a injeção é utilizada em diversas técnicas. “A anestesia está indicada para a maioria dos procedimentos odontológicos, como remoção de cáries, trocas de restaurações, extrações de dentes ou até mesmo para uma limpeza se a pessoa tiver dentes muito sensíveis”, destaca a profissional.

O nervosismo pode atrapalhar a ação da anestesia?

De acordo com Viviane, não há comprovações para afirmar a interrupção da ação da anestesia durante algum procedimento devido ao nervosismo. “Porém, uma pessoa que está ansiosa fica mais sensível e pode acabar percebendo qualquer estímulo como dor”, comenta Viviane. No entanto, há outros fatores que podem atrapalhar o anestésico. Pensando nisso, a dentista destacou alguns exemplos desses quadros:
- Locais inflamados: a diferença de pH desses pontos diminui o efeito da anestesia;
- Diferença anatômica na localização do nervos: “mesmo que a localização seja pouca coisa diferente, pode atrapalhar a chegada do anestésico ao nervo”, comenta ela;
- Espessura da camada de proteção do nervo: quanto mais grossa for, maior é a dificuldade de penetração da anestesia.

O dentista pode ajudar a diminuir o nervosismo

Você não precisa guardar esse sentimento para você, o dentista pode dar uma mãozinha e ajudar nesse assunto. “Proporcionar um ambiente calmo e seguro, esclarecer as dúvidas, entender o desejo do paciente e mostrar-se interessado em seu bem-estar”, diz a profissional. Assim, essa troca de confiança consegue tranquilizar o seus nervos e fazer com que o procedimento aconteça sem algum contratempo. “Estudos mostram que uma boa conversa tem o mesmo efeito que medicamentos para controlar a ansiedade”, completa ela. Não é muito legal?

Existem procedimentos odontológicos que utilizam anestesia geral?

Geralmente, o uso de anestésicos em procedimentos odontológicos é do tipo local. No entanto, qualquer técnica pode ser realizada sob o efeito da anestesia geral. “Porém, essa escolha é feita quando o paciente não consegue se submeter ao atendimento odontológico em um consultório, por exemplo, pessoas portadoras de síndromes ou com limitações físicas”, ressalta Viviane. Além disso, em procedimento cirúrgicos mais extensos, a anestesia geral é uma opção que pode proporcionar maior conforto ao paciente. Dessa maneira, ao acordar, todas as etapas já estarão cumpridas.