Entre os quadros mais comuns de desalinhamento do sorriso, estão os problemas oclusais. Estes podem ser encontrados nas arcadas dentárias e caracterizam-se pela incorreta relação das bases ósseas. Ou seja, o maxilar e a mandíbula não se encaixam perfeitamente, causando assim, uma alteração na mordida. Dessa forma, podem-se desenvolver problemas periodontais e até mesmo o desgaste dos elementos dentários. Pensando nisso, o Sorrisologia conversou com o cirurgião-dentista Breno Osthoff, e ele comentou mais sobre a diferença entre as mordidas. Confira!

Mordida aberta ou mordida cruzada: quais as diferenças entre elas?

A mordida aberta pode ser anterior, posterior unilateral ou bilateral. “A mordida aberta anterior, caracteriza-se pelo contato dos dentes posteriores e ausência do contato dos dentes anteriores durante a oclusão, permanecendo um espaço ou fissura entre os dentes anteriores”, explica Breno. No caso da mordida aberta posterior, esse regime se inverte. “Dessa forma, acaba causando um espaço ou fissura na região posterior, podendo ser unilateral ou bilateral”, esclarece. Além disso, Breno conclui: “A mordida cruzada pode ser anterior, posterior unilateral ou bilateral, sendo a arcada superior ocluindo em posição invertida (por dentro) na arcada inferior”.

Entenda quais são as consequências desses tipos de mordida para a saúde bucal

Segundo Breno, as consequências dessas maloclusões são DTMs (disfunções temporomandibulares), desgaste prematuro dos dentes, problemas periodontais, dores de cabeça decorrente da fadiga da falência dos músculos da mastigação.

Saiba quais são os possíveis tratamentos para cada um dos casos

Primeiramente deve-se começar com a prevenção. Como sabemos, o uso de chupetas, chupar o dedo e colocar objetos na boca são os principais fatores causadores de maloclusões. Dessa forma, quando os mesmos são cessados, acontecem condições favoráveis para evitar o surgimento desses tipos de mordida. No entanto, Breno esclarece: “Após o surgimento de maloclusões, as mesmas necessitam de correção com o uso de aparelhos ortodônticos fixos ou não”.

Esses tipos de mordidas têm relação com DTM

Segundo o profissional, a mordida humana é uma complexa engrenagem que necessita do encaixe perfeito dos dentes. “Uma vez que não acontece essa harmonia, a articulação temporomandibular sofre muito, gerando disfunções na mesma, causando dor, desconforto, crepitação, estalidos, entre outros”, explica o cirurgião-dentista.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Breno Alex Osthoff - Cirurgião-dentista com ênfase em prevenção e clinica geral
Rio de Janeiro - RJ
CRO-RJ 47512