Quando pensamos em um ou mais dentes moles, logo é imaginado os episódios de crianças durante a troca dos dentes de leite. Entretanto, quando a mobilidade acontece já na dentição permanente, é preciso procurar um especialista para avaliar o quadro, pois isso não é normal. Dentes moles em adultos podem representar doenças periodontais, ou seja, aquelas que atacam o tecido de suporte dentário, a gengiva, entre outras causas. O Sorrisologia conversou com a dentista Yara Moura Brasil que trouxe mais detalhes sobre esse assunto.

O que é mobilidade dental?

De acordo com a profissional, quando um ou mais dentes apresentam um amolecimento é um sinal de uma disfunção ou doença das estruturas periodontais. “A mobilidade dental é a possibilidade do dente de se deslocar em vários sentidos. Pode ser um importante alerta do início de algum problema grave”, explica ela. Por isso, fique atento quanto à posição dos seus. Perceber o quadro logo no começo possibilita um tratamento mais eficaz. Pacientes com mobilidade dental podem apresentar o caso como resultado de uma inflamação dentária, que se estendeu para os tecidos que dão suporte aos dentes, como o ligamento periodontal e osso.

Mobilidade dental, quando não tratada, pode levar à perda do dente

Após o nascimento do dente permanente, essa estrutura se mantém fixa à cavidade bucal. Desta forma, quando há algum acidente ou doença nessa área, o resultado é a movimentação dessa estrutura, o que chamamos de mobilidade dental. “Além da piorréia, que é uma doença periodontal que atinge metade dos adultos, outros problemas podem fazer com que os dentes fiquem com mobilidade, como próteses e restaurações mal adaptadas, pulpite, dente mal posicionado e trauma dental”, destaca a especialista. O diagnóstico é feito através de exames clínicos e radiográficos, requisitados pelo odontologista. Assim, ele poderá avaliar o quadro corretamente e encaminhar a melhor opção de tratamento. “Dependendo da causa, se não for tratada adequadamente pode levar à perda do dente”, alerta Yara.

Como tratar uma mobilidade dental?

Assim como destacado acima, o quadro de mobilidade dental pode ser provocado por diversos fatores e o tratamento para cada um será de acordo com sua causa. A dentista listou os principais deles e o que é indicado fazer:

- Mobilidade por trauma: “A cura geralmente é espontânea, mas em casos mais graves é necessário fixar o dente traumatizado temporariamente”, comenta ela;

- Periodontite: a solução é fazer a raspagem da placa bacteriana aderida à superfície radicular;

- Má posição dentária: “Pode ser evitado fazendo-se ajustes para distribuir as forças mastigatórias entre todos os dentes”, orienta Yara;

- Restauração ou prótese: é preciso ajustar as peças ou substituí-las;

- Pulpite: o aumento da mobilidade e deslocamento vertical podem ser solucionados com o tratamento endodôntico, que é conhecido como canal.

Vale destacar que a mobilidade ortodôntica é um episódio comum após a ativação do aparelho, sendo diferente das demais acima. “Quando a força é aplicada com maior intensidade, ocorre um aumento da mobilidade dentária, que volta ao normal em até 48 horas”, explica a profissional.