A afta é uma feridinha que, apesar de pequena, costuma ser bastante desagradável. Elas atrapalham na hora de comer e em alguns casos até mesmo na fala! Se para os adultos esse machucadinho já é bem chato, para as crianças é um incômodo ainda maior, e elas também não estão livres do problema. A endodontista Sofia Cabaleiro nos contou como pode ser feito o tratamento nessa idade, e destacou: para isso é essencial o acompanhamento de um profissional!

Quais fatores influenciam o aparecimento de aftas?

As aftas são feridas pequenas e superficiais que aparecem dentro da boca. “São erosões teciduais, e a causa do seu surgimento nem sempre é clara”, afirma a profissional. Entre os possíveis agentes causadores estão fatores emocionais, ingestão de alimentos ácidos, problemas gastrointestinais, traumas e baixa imunidade, que pode ser provocada por algum distúrbio sistêmico e infecção virótica.

As aftas ou estomatites podem aparecer nas crianças por diferentes motivos

As aftas em crianças são também denominadas de estomatites. “Elas podem aparecer na língua, gengiva, céu da boca, bochecha, ou até mesmo na garganta da criança”, lista. Elas costumam ter bordas avermelhadas e uma cor amarelada no centro. Nas crianças, elas podem ser causadas por algum vírus ou baixa imunidade. Além disso, a ingestão de alguns alimentos e até mesmo certas frutas como abacaxi e limão podem favorecer o aparecimento de aftas.

Ao perceber aftas na boca do pequeno, é preciso ir ao dentista?

Sofia afirma que sim, assim que notarem o surgimento de uma afta, é importante que os pais procurem o dentista. “Muitas vezes as aftas são muito dolorosas, e um profissional poderá orientar os pais e responsáveis em como amenizar os sintomas que são bastante desconfortáveis para criança”, diz ela.

Entenda como é feito o tratamento para aftas na infância

As aftas costumam ter duração de 7 a 10 dias e muitas vezes acabam desaparecendo sozinhas. “Porém existem medicações paliativas que irão ajudar as crianças a passarem por esse período com menos dor”, afirma Sofia. O tratamento costuma incluir analgésicos via oral ou pomadas. Mas é importante destacar que apenas o profissional poderá indicá-las!

A adoção de alguns cuidados também pode colaborar para redução do incômodo causados por essas feridinhas. “Esses cuidados consistem em oferecer alimentação mais gelada como gelatinas, iogurte, sorvetes, evitar ao máximos alimentos ácidos ou muito temperados e limpar a boca da criança com uma gaze ou algodão embebido de água fria”, recomenda. Além disso, é importante evitar pomadas caseiras, feitas sem recomendação do dentista, pois seu uso pode até piorar o quadro de dor da criança!

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Sofia Cabaleiro - Endodontista
Belo Horizonte, MG
CRO-MG: 34919