O seu maxilar costuma estalar? Saiba que você não está sozinho: muitas pessoas sofrem com isso, e por não saberem exatamente do que se trata, tendem deixar o problema de lado. No entanto, esse sintoma pode ser um indício de problemas na cavidade bucal, relacionada principalmente com a Disfunção na Articulação Temporomandibular, conhecida por DTM. Pensando nisso, o Sorrisologia conversou com o ortodontista e especialista em DTM, Robson Caumo, e ele explicou um pouco mais sobre esse quadro! Confira a seguir.

O maxilar estalando é sinônimo de DTM? Seria esse o sintoma principal dessa doença?

Estalidos, ou ruídos articulares, são, com certeza sinais que algo não está bem. “Assim, podemos considerar que o paciente apresenta alguma DTM, no entanto, este não é o principal sinal, mas sim, um dos mais frequentes”, explica o profissional.

Saiba como é feito o tratamento para a mandíbula estalando

Para Robson, os estalidos são muito difíceis de corrigir. Ele esclarece: “Apenas em torno de 20% dos casos há sucesso no tratamento deste sintoma, isto porque a origem dos estalos pode ser bem variada, podendo, inclusive, ser causada por deformidades no disco articular, deslocamentos do mesmo, ou algum envolvimento da musculatura que se insere na cápsula articular”.

Além do maxilar estalando, quais outros sintomas indicam uma possível DTM?

Segundo Robson, muitos são os sintomas da DTM. No entanto, o profissional explica: “Podemos citar como os principais sintomas a cefaléia na região temporal (ao acordar ou ao longo do dia), dores na região da bochecha (muscular masséter), cansaço ou até fadiga dos músculos mastigatórios, estalos na ATM, zumbido e dores na região do ouvido, dificuldade em abrir a boca, dor no fundo dos olhos e desvios mandibulares”.

O que fazer para amenizar os incômodos do maxilar estalando

O profissional indica: “A primeira coisa a fazer é procurar o profissional certo, um especialista em DTM. A partir do correto diagnóstico, clínico e por exames complementares, o tratamento é direcionado de acordo com a etiologia do problema”. Muitas das vezes, é recomendado que o paciente aprenda a conviver com os estalos, pois a resolução para isso pode ser única e exclusivamente cirúrgica. “A maioria das pessoas não estão dispostas a se submeter a esse procedimento invasivo. Por isso, com o tratamento correto, que muitas das vezes é multidisciplinar, podemos resolver ou pelo menos reduzir a intensidade e a frequência dos estalidos”, conclui Robson.

DTM tem cura?

Geralmente, a DTM não tem cura. No entanto, pode ser tratada e melhorada. Segundo Robson, a cura para uma possível DTM depende da sua origem. “Não dá pra ser taxativo e prometer algo que talvez não consigamos resolver, mas de uma forma geral conseguimos eliminar ou amenizar muito os sinais e sintomas da DTM”, explica o profissional ao concluir: “Há casos em que o paciente precisa ser acompanhado pelo resto da vida, porém também existem casos que resolvemos na consulta inicial, então a cura total nem sempre é uma regra, e isso deve ser dito no início do tratamento ao paciente”.

Este artigo tem a contribuição do especialista: ID NO PUBLICADOR 585
Robson Caumo - Ortodontista e Especialista em DTM
Niterói - RJ
CRO-RJ: 30043