O mau hálito é caracterizado pela alteração no odor do ar expirado pela boca, pelo nariz ou por ambos, percebido como desagradável pelo olfato humano. Normalmente ele significa que algo não está bem no seu organismo, mas, isso não quer dizer que tenha relação com o seu estômago. Podemos dizer que existem diversas causas para a halitose, que podem ser explicadas por falta de uma boa higiene bucal, doenças de gengiva, cárie e até alterações no fígado, rins e intestinos. Conversamos com o dentista Maurício Duarte para saber mais sobre o tema.

Como perceber que estou com problemas de mau hálito?

Normalmente as pessoas que sofrem de halitose não conseguem sentir o próprio hálito. “Isso ocorre devido a um processo fisiológico chamado fadiga olfatória, onde nós nos adaptamos a um determinado odor, se ele for constante, para podermos sentir novos odores”, explica o especialista. Nesse caso, muitas vezes é necessário que algum amigo próximo ou parente converse com a pessoa para que ela possa buscar ajuda de um dentista.

Caso isso já seja uma desconfiança para o paciente, o especialista diz que a melhor maneira é perguntar para alguém em quem confie, em diferentes horários, como está o seu hálito. “Isso pode ser feito conversando bem de perto ou ainda soprando um jato de ar lento e longo pela boca e a seguir pelo nariz, em direção ao nariz do examinador”, ensina Maurício.

Mau hálito não vem do estômago. Conheça outras possíveis causas

Muitas pessoas acreditam que o mau hálito pode ter origem no estômago, mas isso não é bem verdade. Na verdade, ele comenta que em mais de 12 mil casos em sua clínica, nunca se deparou com um caso em que o mau cheiro viesse desse órgão. “As principais causas são a saburra ou biofilme lingual, placa bacteriana esbranquiçada ou amarelada que se forma no fundo da língua, além de doenças de gengiva (gengivite e periodontite) e os cáseos amigdalianos, similares a pequenas bolinhas de queijo que se formam dentro das amígdalas, com odor desagradável”, esclarece Maurício.

Contudo, existem mais de 90 causas para explicar o mau hálito, muitas delas raras e outras que são doenças sistêmicas, mas que possuem manifestações bucais. Ao perceber sinais de halitose procure seu dentista para identificar a causa do problema.

Como é feito o diagnóstico do mau hálito e como tratar

Segundo o profissional, o diagnóstico é feito por meio de um questionário extenso para investigar todo o histórico médico odontológico, histórico alimentar e nutricional, teste de estresse, testes salivares, teste do hálito em aparelhos específicos e um exame clínico detalhado.

Baseado nessas informações é elaborado um plano de tratamento que normalmente incluirá mudanças de hábitos de higiene bucal, mudanças de hábitos alimentares e em alguns casos, tratamento para a baixa produção salivar, podendo também ser pedido alguns exames laboratoriais. Em alguns casos pode ser necessário incluir diversas outras prescrições, dependo das causas que foram diagnosticadas.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Maurício Duarte da Conceição - Pós-graduado em Halitose e Especialista em Dentística Restauradora e Halitose
CRO-SP: 34.205