O mau hálito é sempre um verdadeiro incômodo, mas nem sempre inesperado! Alguns alimentos tornam a situação muito mais propensa de acontecer quando são ingeridos. Para evitar que você passe por momentos constrangedores por causa do mau hálito gerado logo após a refeição, o especialista em halitose Maurício Duarte destacou os principais alimentos que ajudam a deixar a pessoa com mau hálito.

É verdade que alguns alimentos podem piorar um quadro de mau hálito? Quais são os principais alimentos responsáveis por isso?

Sim, é verdade que certos tipos de alimentos influenciam nesse quadro, e não são apenas cebola e alho que podem provocar isso. Para que você fique ligado, o dentista Maurício enumera quais são eles: “Os principais alimentos que podem piorar um quadro de mau hálito são os alimentos ricos em proteína e gordura animal como os embutidos (salame, mortadela, linguiça, lombo canadense), as carnes gordurosas, os queijos amarelos muito fortes, os peixes fritos ou muito oleosos e em conserva como a sardinha e o aliche e também o alho e a cebola se consumidos crus ou fritos”.

Mas atenção: quando o alho e cebola são usados apenas como tempero, não há risco. O especialista explica que ao cozinhar esses alimentos, as partículas malcheirosas do alho e da cebola são eliminadas. Além disso, é importante ficar atento a alimentos como o leite, manteiga, maionese e alimentos contendo enxofre como os ovos, repolho, acelga, brócolis e a couve-flor, porque esses tipos de alimentos não alteram o hálito se consumidos em quantias normais, mas podem fazê-lo se forem consumidos em quantidades muito grandes, segundo o dentista.

A higiene bucal pode ajudar?

Embora a higiene bucal ajude, ela pode não eliminar totalmente o mau hálito que aparece logo após o consumo de certos alimentos. O profissional explica que isso acontece porque as pequenas partículas malcheirosas contidas nesses alimentos, chamados odoríferos, quando digeridas e absorvidas pelo intestino, ficam circulando no sangue. A eliminação só acontece no processo de trocas gasosas, pela via pulmonar. “Dessa forma, esse tipo de mau hálito é eliminado por meio do ar expirado tanto pela boca como pelas narinas. Ou seja, o hálito alterado é eliminado pelo nariz, mesmo de boca fechada”, finaliza.

Outros problemas que podem provocar o mau hálito

Não são apenas os alimentos que influenciam a halitose. De acordo com o especialista, existem pelo menos três causas principais para o mau hálito, sendo responsáveis por cerca 98% dos casos. Elas são: a saburra lingual, as doenças de gengiva e os cáseos amigdalianos. A saburra é uma placa bacteriana esbranquiçada ou amarelada que se deposita no fundo da língua, já as doenças gengivais podem ser observadas através do sangramento gengival. Quanto aos cáseos amigdalianos, são pequenas bolinhas amarelas similares a bolinhas de queijo que se formam dentro de pequenas cavidades existentes nas amígdalas, tendo um cheiro extremamente desagradável se apertado entre os dedos, segundo o profissional.

Como tratar a halitose?

Para prevenir que o mau hálito domine, o tratamento mais efetivo é a limpeza local. Ela deve ser realizada com técnicas e produtos específicos, para alcançar um bom resultado. “Outros procedimentos que podem ajudar são aumentar a produção salivar, se esta estiver insuficiente, ou tratar a respiração bucal, no caso de pessoas que respiram o tempo todo pela boca. Ou seja, tudo que promove ressecamento na mucosa bucal e consequentemente aumenta a descamação de pele dos lábios e bochechas”, sugere. De acordo com ele, essas peles descamadas são “carne crua”, servindo de alimento para as bactérias que causam o mau hálito.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Maurício Duarte da Conceição - Pós-graduado em Halitose e Especialista em Dentística Restauradora e Halitose
CRO-SP: 34.205