Enquanto mastigamos um alimento, não reparamos na forma que estamos fazendo. Normalmente, quem possui uma mastigação de forma incorreta nem repara, e apenas o dentista poderá alertar e tratar esse problema. A mastigação deve ser feita da forma correta desde a infância, para assim evitar possíveis problemas que podem surgir como consequência. A dentista Katyuscia Lurentt explica como essa atividade faz diferença na saúde do sorriso dos pequenos!

Saiba como deve ser a mastigação correta

O mais importante para uma mastigação correta é que ela deve ser bilateral, usando os dois lados da arcada dentária. “Pode ser simultânea ou alternada, com movimentos verticais e de rotação de mandíbula”, explica ela. Dessa forma, a musculatura facial é trabalhada igualmente, evitando problemas.

Além disso, mastigar por muito tempo não é necessariamente sinônimo de uma boa mastigação! “Muitas vezes a língua não coordena o alimento sobre os dentes para fazer a trituração e o alimento fica sendo jogado de um lado para o outro até ser amolecido na própria língua e engolido com dificuldade ou ajuda de líquido”, diz ela.

Como perceber se a criança está realizando essa atividade corretamente?

Muitas vezes, nem a criança nem os pais irão percebem o hábito da mastigação incorreta facilmente. “Nesse caso, cabe ao dentista orientá-los a realizá-la de forma correta”, indica a profissional. Mas existem sim alguns sinais aos quais os pais podem ficar atentos, para verificar se a mastigação da criança está sendo feita de maneira errada. “Por exemplo, pedaços muito grandes de alimentos, desconforto ou necessidade de líquido para engolir”, cita ela. Além disso, dores, desconforto e ruídos na hora de comer também podem ser indicadores de problemas.

Entenda a importância de mastigar corretamente na infância para a saúde bucal

É importante que a mastigação seja feita da forma correta desde a infância, e o seu desenvolvimento começa desde a amamentação. “A força que o bebê faz para sugar o leite trabalha a musculatura da boca e é um importante estímulo para o desenvolvimento ósseo e para futura mastigação”, esclarece Katyuscia.

Caso a atividade seja realizada de maneira incorreta, podem surgir diversos problemas envolvendo a saúde bucal, como desequilíbrio na musculatura, harmonia e estruturas da boca. “Também pode levar à deformação das arcadas dentárias, mordida aberta ou cruzada, além de acarretar disfunções na fala, com a incapacidade de articular determinados fonemas”, diz ela. Distúrbios de ATM e mau hálito também fazem parte dessa lista. Portanto ter atenção a mastigação da criança é fundamental, além das consultas de rotina ao dentista, nas quais ele poderá identificar qualquer problema.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Katyuscia Lurentt - Especializada em malformações da face e cirurgia ortognática e pós-graduada em cirurgia bucomaxilar
Rio de Janeiro - RJ
CRO-RJ: 31787