Um dos sintomas da cárie pode ser a presença de manchas nos dentes, que também pode vir acompanhada de dor e sensibilidade. Porém, o periodontista André Alvim afirma que nem sempre essas manchas podem estar indicando a presença dessas bactérias. Em algumas ocasiões, elas podem ter sido causadas por mais algum problema bucal ou por alguns hábitos do paciente. Veja como a sua rotina pode estar causando essa aparência diferente nos dentes, e as formas de prevenção e tratamento.

Quais são os sinais da cárie?

No início, a cárie pode não dar muitos sinais de que está presente. Mas com as bactérias mais evoluídas, os sintomas mais comuns podem começar a aparecer. “Ela causa sensibilidade, mau hálito, sangramento na gengiva, dor ao mastigar e, em estágio avançado, a dor pulsátil”, lista ele. Há também casos em que as bactérias se desenvolvem por baixo do dente, dificultando que o paciente perceba o dente cariado. Por isso, é tão importante ir ao dentista, seguindo as recomendações de frequência. Também vale lembrar o profissional de, a cada 2 anos, realizar o raio X para verificar a presença desses agentes escondidos.

Manchas marrons: é sempre cárie?

Nem sempre. O dente até pode ficar marrom por conta de algumas lesões que as bactérias da cárie provocam na região, contudo, o tártaro também pode provocar essa cor nos dentes; Esse problema bucal acontece quando a placa bacteriana fica endurecida em volta dos dentes. Assim, ela fica com uma coloração um pouco amarelada e, aos poucos, escurecendo ainda mais para o marrom. Mas, o periodontista comenta que a causa mais comum, depois da cárie é a pigmentação. “Podem ser sinais de alguma pigmentação causada a longo prazo por ingestão de comidas como chá, mate, vinho tinto, café ou uso de cigarro”, alerta ela.

Prevenção e tratamento das manchas marrons

Cárie ou placa bacteriana: a prevenção é igual! Nesses casos, as manchinhas aparecem decorrentes de uma falta de higiene bucal. “Deve ser feita uma boa escovação pelo menos três vezes ao dia, uso de fio dental, enxaguantes bucais e visitar o seu dentista a cada seis meses”, completa o especialista. Para se prevenir da pigmentação, o mais indicado é comer tais alimentos com uma maior cautela e realizar a escovação sempre após ingeri-los.

Todos os casos devem ser tratados com um profissional por perto. No caso da cárie, por exemplo, o paciente precisa que o dente seja restaurado. ”O dentista remove a cárie com o ‘motorzinho’ para depois recuperar o dente com material restaurador”, explica ele. Para o tártaro, é realizada uma remoção do problema com a raspagem, sendo algumas vezes também necessária a aplicação de flúor. Quando o dente foi pigmentado por alimentos e bebidas, o mais indicado é recorrer a tratamentos estéticos, principalmente ao clareamento. Em todas as situações, o especialista é quem vai poder analisar melhor o caso e, depois de qualquer um dos procedimentos, explicar como deve ser a rotina de higienização para que esses problemas não retornem.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
André Alvim - Periodontista
Rio de Janeiro - RJ
CRO-RJ 24039