Pular para o conteúdo principal
Logo Facebook Powered By Logo OralB
03.03.2021

Inflamação da polpa dentária: o que é? Quais são as causas? Como tratar? Conheça todos os cuidados

A inflamação da polpa dentária pode causar dor de dente, inchaço e outros incômodos. Saiba como diagnosticar e tratar o quadro!
A inflamação da polpa dentária pode causar dor de dente, inchaço e outros incômodos. Saiba como diagnosticar e tratar o quadro!

Expert

Beatriz Bussab

Beatriz Bussab

CRO-SP 125369

Cirurgiã-dentista formada em Odontologia pela Universidade Nove de Julho e com curso de facetas de porcelanas.

Você sabe o que é a inflamação da polpa dentária? Também chamado de pulpite, o quadro é caracterizado pela infecção do tecido com vários nervos e vasos sanguíneos situados na polpa do dente - que é a parte mais interna e sensível do elemento. Quando não diagnosticada e tratada da maneira adequada, a pulpite pode trazer danos irreversíveis para região, afetando a estética do seu sorriso e a saúde bucal.

Para te deixar por dentro do assunto, o Sorrisologia, junto com profissionais da odontologia, preparou um guia completo com todas as informações sobre a inflamação da polpa dentária - desde os sintomas até as formas de tratamento. Veja só!

1. Inflamação da polpa dentária: saiba como surge o problema

Antes de entender como surge a inflamação na polpa dentária, é importante compreender as três estruturas de um dente. A camada mais superficial é chamada de esmalte, já a interna é a dentina e, por último, está o nervo do dente que é conhecido como polpa dentária. “A inflamação pulpar ou pulpite ocorre quando o dente sofre algum tipo de agressão, levando a uma vasodilatação da polpa”, explica a dentista Beatriz Bussab. Por esse motivo, quando não diagnosticada e tratada da maneira correta, a inflamação da polpa dentária pode trazer prejuízos maiores para a saúde bucal do paciente, como dores e perda do elemento.

1.1. As causas da inflamação da polpa dentária

Assim como outros problemas bucais, a pulpite pode ser causada por uma série de fatores diferentes. A presença de cáries, por exemplo, é o mais comum. “A cárie tem a capacidade de destruir os tecidos duros do dente, e quando afeta a polpa gera o quadro de inflamação pulpar”, alerta Beatriz.

Quedas, pancadas e traumatismos que afetam a polpa dental, como a mastigação incorreta, também podem provocar o surgimento de um quadro de pulpite, mesmo que esse quadro não implique em uma fratura no dente. Além disso, doenças na gengiva, como a periodontite, também favorecem a inflamação da polpa dentária, já que afeta os tecidos de suporte mais profundos do dente.

1.2. Os principais sintomas da inflamação da polpa dentária

De maneira geral, o principal sintoma da pulpite é a dor de dente. Nesse caso, diferente do incômodo causado por outros quadros, como a sensibilidade, a dor de dente resultante da pulpite é contínua e intensa. Isso acontece devido a pressão feita pela polpa dentária durante o processo inflamatório. De acordo com o dentista Max Ferreira, o inchaço na cavidade oral também é outro possível sintoma da inflamação.

Além disso, outros sinais como sensibilidade nos dentes, dificuldade ao abrir a boca ou mastigar, dente escurecido, vermelhidão e inchaço nos gânglios do pescoço também indicam uma inflamação na polpa dentária.

1.3. Pulpite reversível x pulpite irreversível: entenda as diferenças entre os quadros

A inflamação da polpa dentária pode ser dividida de duas maneiras: reversível e irreversível. De acordo com a endodontista Sofia Cabaleiro, a pulpite reversível, também conhecida como pulpite transitória, é aquela que pode ser tratada sem deixar sequelas no dente, devolvendo a sua vitalidade. No entanto, quando não há o tratamento adequado, o quadro pode progredir, afetando gravemente a região da polpa dental e se tornar uma pulpite irreversível. Nesse caso, o paciente deve passar por procedimentos mais invasivos, como o tratamento de canal.

2. Tratamento para inflamação na polpa dentária

A escolha do tratamento para inflamação da polpa dentária pode variar de acordo com o estágio e o tipo de pulpite. “A diferença para o diagnóstico está na intensidade da dor e na resposta da polpa aos testes de vitalidade realizados no consultório”, indica a dentista Sofia. Nesse caso, o método mais comum para verificar é o teste com um spray gelado no dente afetado e, dependendo da resposta do paciente, é definido se a pulpite é reversível ou não.

Quando tratada em sua fase reversível, o processo de capeamento pulpar indireto seguido da restauração do dente é o procedimento mais indicado para o quadro. Por outro lado, o tratamento é mais invasivo quando se trata de uma pulpite irreversível. “Quando irreversível deve-se realizar a pulpectomia, que é a remoção da polpa dentária, e finalizar com o tratamento de canal”, afirma Max Ferreira. No entanto, vale ressaltar que, independente do método utilizado, uma coisa é certa: a pulpite tem cura e pode ser resolvida de uma vez por todas.

3. Principais dúvidas sobre a inflamação da polpa dentária

3.1. Remédio caseiro para pulpite funciona?

Sim! Justamente por ter como principal sintoma a dor de dente, existem algumas medidas caseiras que podem ajudar a aliviar o incômodo causado pela inflamação da polpa dentária. O chá de hortelã, por exemplo, é um dos mais recomendados, já que a folha possui propriedades calmantes e refrescantes que podem amenizar a dor de dente. Além disso, bochechos com própolis - que possui uma ação inflamatória e analgésica - também é uma boa opção. Mas lembre-se: nenhum desses tratamentos deve substituir o acompanhamento profissional.

3.2. Pulpite causa dor de cabeça?

Sim, a dor de cabeça é um dos sintomas da pulpite. As chamadas dores de cabeça secundárias orofaciais, podem ser provenientes de diversos problemas bucais, como bruxismo, apertamento dentário, disfunção temporomandibular e, principalmente, a pulpite.

3.3. Bruxismo é uma das causas da inflamação da polpa dentária?

Infelizmente, sim. O ato inconsciente de apertar ou ranger os dentes, especialmente durante o sono, também pode resultar na inflamação da polpa dentária. Nesse caso, a pulpite é caracterizada como reversível, já que combater o bruxismo é sinônimo de problema resolvido.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Beatriz Bussab - Cirurgiã-dentista
Osasco - SP
CRO-SP 125369

Mais Matérias: Dentes
5 benefícios do flúor para saúde bucal
Dentes
5 benefícios do flúor para saúde bucal
Esqueça aquela velha história de que o flúor traz apenas prejuízos para a saúde bucal . Quando usado corretamente, o elemento químico presente em diversos produtos de higiene oral pode ser um grande aliado para cuidar do seu sorriso - sendo um dos principais agentes contra a cárie e outros problemas...
Dentes amarelados são sinal de má higienização?
Dentes
Dentes amarelados são sinal de má higienização?
É inevitável se preocupar com a presença de dentes amarelados na boca. Capaz de comprometer a estética de qualquer sorriso, a pigmentação pode estar ligada a uma série de fatores que vão desde doenças bucais, como a erosão dentária, à quadros genéticos que fogem...
Mordida profunda: veja o passo a passo do tratamento cirúrgico
Dentes
Mordida profunda: veja o passo a passo do tratamento cirúrgico
A mordida profunda é certamente um dos problemas ortodônticos mais comuns nos consultórios...
com a participação de:
Rita Ventura
CRO-RJ: 42601
Bloco de porcelana ou de platina: qual é o melhor para você?
Dentes
Bloco de porcelana ou de platina: qual é o melhor para você?
É comum lidar com o surgimento de cárie e outros problemas que podem exigir uma...
com a participação de:
Kalina Diniz
CRO-SP: 110560
Bloco ou coroa: qual a diferença entre essas duas restaurações?
Dentes
Bloco ou coroa: qual a diferença entre essas duas restaurações?
Cáries, traumas ou fraturas são alguns dos fatores que podem resultar na necessidade de uma...
com a participação de:
Kalina Diniz
CRO-SP: 110560
Meu dente quebrou, e agora? Como agir nesses casos
Dentes
Meu dente quebrou, e agora? Como agir nesses casos
Lidar com um dente quebrado está longe de ser uma tarefa fácil. Além de prejudicar a...
com a participação de:
Priscila Chagas
CRO-RJ: 39788