A restauração é um procedimento odontológico indicado para recompor a integridade do dente, que pode ter sido afetado por uma cárie, fratura ou outra doença bucal. Durante o tratamento restaurador o dentista irá limpar a região, remover a parte danificada e preencher a cavidade com um material específico para restauração. No entanto, em alguns casos, o processo pode apresentar um pequeno problema de infiltração que precisa ser resolvido antes do quadro progredir e levar a uma fratura significativa da coroa. Conversamos com o dentista Ricardo Gouvêa Teixeira para entender o que pode causar a infiltração após a restauração dentária.

Como acontece a infiltração na restauração dentária?

A infiltração na restauração dentária acontece quando existe uma separação entre o dente e o material restaurador, promovendo a passagem de fluidos, íons, pigmentos e bactérias para seu interior. De acordo com o dentista, isso pode acontecer por fatores químicos, mecânicos ou biológicos. “A falha por estresse do sistema adesivo, sua contaminação com umidade, a contração de polimerização das resinas compostas em cavidades mais extensas, a diferença de contração e expansão térmica, assim como a colonização bacteriana em superfícies lisas ou sobre contornos com má higienização podem proporcionar o acontecimento da infiltração”, explica Ricardo.

Os riscos de uma infiltração na restauração dentária

Segundo o profissional, o processo de infiltração na restauração dentária pode causar de forma mais branda uma sensibilidade nos dentes, pigmentação por corantes e a presença de bactérias de menor perigo nas bordas da restauração. Em uma forma mais agressiva pode promover cáries secundárias na interface dente-restauração, progredindo em um padrão de cárie não natural direcionado e margeado pela restauração presente chegando mais rapidamente (em uma fração do tempo que levaria em um dente saudável) em níveis mais profundos da estrutura dentária.

Cuidados para evitar infiltração no dente restaurado

Para que a infiltração não aconteça, é preciso haver cuidados tanto do lado do dentista quanto do paciente. No que tange as responsabilidades do profissional, Ricardo cita: “A prevenção do problema passa por uma correta execução do procedimento restaurador, com sistema adesivo eficaz, resinas de baixa contração de polimerização, aplicadas em técnicas incrementais e preenchimento correto, finalizadas com acabamento e polimento adequados”.

Já o paciente de ter uma dieta equilibrada sem alimentos ácidos e açúcares, para equilibrar o pH bucal e a flora bacteriana presente, que associado ao uso de fio dental e escovação adequada diminuem o aparecimento de cáries secundárias nas superfícies restauradas. “O controle profissional das restaurações pode atuar de forma preventiva, checando e ajustando quando necessário as margens da restauração com polimentos e desgastes seletivos”, acrescenta Ricardo.

Quais são os riscos de não cuidar de uma infiltração de imediato?

De acordo com o dentista, é importante cuidar da infiltração assim que ela for percebida. “Não cuidar de uma infiltração de imediato pode significar um grande risco à integridade do dente, uma vez que uma cárie neste ambiente específico progride rapidamente podendo levar à uma fratura significativa da coroa, envolvimento tratamento endodôntico ou até mesmo à perda do dente”, esclarece Ricardo. Procure seu dentista para avaliar o quadro e reparar a infiltração o quanto antes.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Ricardo Gouvêa Teixeira - Especialista em cirurgia oral menor e implantodontia
Rio de Janeiro, RJ
CRO-RJ: 29409